sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Fecho em baixa

Podia ser o inicio de uma noticia relacionada com o indice bolsista de qualquer praça mundial, ou até mesmo em referência a qualquer outro indice, exceptuando o do petroleo, já que esse anda a fechar sempre em altas.

Mas não é. É o fecho do ano 2010 que acaba por acontecer sem que nos últimos tempos tenha tido a possibilidade de sair por aí a pedalar.
Os últimos fins-de-semana foram para esquecer e até a manhã de hoje que tinha reservado para o efeito, foi por água abaixo (quase literalmente).
Não fossem duas aulas de cycling esta semana e acho que ainda acabava o ano a queimar um calendário de 2010, tipo claque do Porto a queimar cachecóis do Benfica e vice-versa...

Para o ano há mais PEDALADAS!!

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

ciclista do dia-a-dia

Viatura comercial com amplo espaço de carga.


sábado, 18 de dezembro de 2010

Semanada

18\12\2010

Não foi uma semana de nada(semanada) mas quase...
Terça-feira: duas aulas de cycling seguidas
Quinta-Feira: futsal
Sábado: Futebol 7

Duas futeboladas para matar saudades e sentir como os esforços físicos são tão diferentes de desporto para desporto.
Quase que não me consigo mexer.
A fisio ao pulso vai continuar. diz quem sabe que por esta altura já deveria estar praticamente curado, mas digo eu a quem sabe que se tivesse o tralho...

Amanhã há btt... ou não.

domingo, 12 de dezembro de 2010

Planando baixinho invertido

12\12\2010
Ciclismo



Mais uma saida para a estrada e o problema de sempre: qual o percurso a efectuar? A escolha a acabou por recair num percurso anterior mas faze-lo no sentido contrario. Invertê-lo portanto.

A manhã acabou por ser mel-ó-dramática. Mais dramática do que "mélica", já que "mel" so mesmo no chá do pequeno-almoço.

O céu estava melodramáticamente negro mas não se anunciara chuva de véspera. Errado!
Se até Pegões foi sempre a seco, na interminável recta para Rio Frio começou a cair para não mais parar. E parar para o que quer que fosse não era opção. Cheguei inclusive a pensar "órinar" à profissional... mas não tive "córage".

Foi molhar até ao osso (Execpto o tronco. Parece que o corta-vento é bonzinhos) mas o pior era mesmo o frio que se fazia sentir pela mão de um vento frontal que apareceu já depois de ter virado em Rio Frio para o lado de Palmela.

Como no sábado a volta de btt a subir ao convento da Arrábida fora no prato do meio, aqui resolvi manter o pedal em força e manter sempre o prato maior. A volta também é quase plana.

E à exepção de um ciclista que me ultrapassou, lá seguia tudo no sentido contrário ao meu. Já quando vou para a serra é o mesmo... Parece que ando sempre melodramáticamente ao contrário.


A música também tocou sempre em tons dramáticos. Tenho mesmo que acabar com o "shufle". Mas mais dramático foi mesmo ficar sem bateria. Aprendi mais uma lição: pilhas recaregáveis descarregam mesmo que não se usem.

Dados do Garmin aqui

sábado, 11 de dezembro de 2010

Nénés do BTT

No feriado passado houve cavalgada. Eu, alex e jorgemback demos no duro de 45 km numa altimetria de 850m. Piso pesado embora sempre a fugir aos intransitáveis lamaçais.

Neste fim-de-semana antecipámos a volta para hoje e nas opções tácticas ficou de fora Jorgemback entregue ao dep. médico e entrou para o seu lugar down hiell.
Logo à partida e os 3 a jogar de calção branco (coincidência ou moda? três canhões de marcas diferentes mas todas javisol).
Previa-se jogo sujo e o estratagema obrigava a vários reajustamentos à medida que o tempo avançava.
A alternância foi uma constante à qual nem faltou a alternadeira do alto das necessidades.
Bela volta à serra quase toda, com estrada pelo convento acima incluida e a sentir-me muito melhor que no feriado.
No final, os "calções" continuavam brancos, brancos. É uma equipa à imagem lavadinha do Néné.

O down hiell tem umas fotos que depois manda.

52 km e 1.150m de acumulado.
Venha mais.

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

ciclista do dia-a-dia

viatura de empresa.




terça-feira, 30 de novembro de 2010

Afinal e o regresso

30\11\2010

Lá fui ter com o fisioterapeuta fazendo figas para que as noticias não fossem más (vejam o optimismo desta frase, as noticias nao sejam más).
E assim foi. Afinal, os ossos estão todos ok. Fisio começa 5ª feira.
Por isso e por me sentir muito melhor desde ontem, hoje nao resisti e fui experimentar o cycling.
Com dor aqui e com dor ali, o regresso até foi positivo.

sábado, 27 de novembro de 2010

Ainda a lesão...

Enquanto o RX vai a caminho do Outão para uma opinião profissional (um tal de especialista em cimento e betão armado - diz quem conhece que usa pelo menos três armas à cintura), a minha paciência começa a roçar os limites do impossivel e já nem me aturo a mim próprio, ou melhor, ja nao me aturo a mim impróprio.




Aguenta coração.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Escafóide??

22\11\2010

Consulta de fisio: ALERTA Escafóide.



Espero que seja como aqueles alertas amarelos da metereologia que depois na prática não passam de um dia normal de inverno.

sábado, 20 de novembro de 2010

Nova etiqueta

20\11\2010

As manhãs solarengas vão acontecendo e eu a ve-las passar. Estou desolado e cheio de vontade de pedalar mas não há meio.

Entretanto abro hoje e aqui lugar a um novo espaço especialmente dedicado àqueles que fazem da bicicleta a sua forma diária de se deslocarem de um lado para o outro.
Seja por opção ecológica, económica, de gosto pessoal ou porque não dispõem de outra, deixo a minha admiração por estes nomadas do pedal que vou encontrando aqui e ali quase diáriamente.


A eles a minha homenagem.

Ciclista tipo: pescador
Viatura tipo: bicicleta comercial c\ caixa frigorífica




Pode-se ver bem o "espaço de arrumação" (saco na mão, sacola às costas) que inclui uma zona térmica (na foto não se vê mas há uma cana de pesca na mochila logo há peixe fresquinho lá dentro devidamente acondicionado).

terça-feira, 16 de novembro de 2010

No estaleiro

16\11\2010




Tanto tempo sem escrever só pode ser sinal de grande inactividade. Pois claro. Sai o 1º prémio para o sr.leitor.
O pulso continua uma miséria e recupera lentamente.




Pensava em fazer uma maratona no final deste mês mas a coisa parece que vai ficar adiada uma vez mais (a tendência continua...).


Belos dias de Sol e uma semana de férias que seria de treinos... vai para o galheiro.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Novas

07\11\2010
btt - Arrábida


Não é com a maior das disposições que escrevo.
Mas animemos as hostes.

Tanta novidade no domingo de btt. A vontade de pedalar estava a montes em todos "nozes".
Apenas temia a condição fisica depois da fatigante volta de sábado mas com a boa disposição de um grupo mais alargado a coisa ia indo. também havia o receio de apanhar com o arrastão da Tasca do Xico (maratona do Pinhal Novo) mas que felizmente não veio a acontecer.

Coisas novas:

McDaniel canhão novo
Olha olha um gaito bravo com um brinquedo novo.

Grupo com duas caras novas (uma ja não é novidade e promete continuar...). O bom da foto é que não se vêem caras.



Uma descida nova e uma nova maneira de desmontar. Não há foto mas passo a descrever: aqui o mongoloide burrié esqueceu-se de baixar o selim e foi sacudido pelo coice da mula (burrié, mula, filhos lindos). Diz quem viu que foi uma espécie de mortal encarpado mas não da carpa (peixe) mas mais do estilo da tainha da doca cheia da pétróil.
E segue para casa com o pulso direito k.o. Valeu o gelo do amigo Stefan em São Paulo.
.
Uma cara nova já tinha abandonado por "blow engine" (alusão ao formula um do tempo do zx spectrum), eu abandono por driver hurt (no f1 era unhurt mas enfim), a outra cara nova, mais regressada que nova, abandona para poupar para outro "gp", e ficam só dois que seguiram a volta.
.
Ah, novidade também foi a queda no novo canhão que assim fica ja baptizado, quando seguiamos em velocidade alucinante (palavras externas) fio dental abaixo.
.
Ficam a faltar as imagens da helmetcam que uma vez mais ficou sem bateria logo no inicio. Isto não é novidade.
Para ultima novidade fica escrever um post interio com a mão esquerda enquanto o pulso direito está em gelo. Não há foto da máscara de dor.
O resto do mundo continua a não entender o porquê deste tipo de btt (rima foleira prepositada). Isso dá-me alguma moral, alento e orgulho (e principalmente dor) mas já nem me dou ao trabalho de explicar.

allez Gaitos Bravos.

sábado, 6 de novembro de 2010

Super-volta mista

06\11\2010
ciclismo
Setúbal-Arrábida-Aguas Moura-Poceirão-Volta Pedra-Setúbal

Ah, tanto para falar...
Andava mortinho para voltar à estrada. E assim foi.
Na véspera não consegui decidir qual seria o rumo: não me apetecia repetir nenhuma das voltas anteriores e pesquisa na net não deu em nada (gpsies, garmin connect, forum ciclismo só deram tracks de meia dúzia de km. Será que não há por aí atletas a publicar tracks de estrada como deve de ser?)

Assim sai às sortes. 1ª direcção? Azeitão. Depois virei para a serra e comecei a subir.
Vi uma placa na estrada que dizia: Estrada sem marcação. Pensei: aqui pode-se andar a qualquer hora. Não é preciso fazer marcação préva ahahhahaha

Levei toda a subida a decidir se seguia para baixo para o Portinho (o sol convidava a parar na praia) ou continuar a subir para o convento.
Optei pela segunda.
Na estrada ia cruzando com muitos ciclistas principalmente montados em bicicletas de BTT (alguns com pneus de estrada montados). O Mário da bikezone diz que o ciclismo está a despoletar outra vez.
Entretanto o novo avanço e guiador são um mimo. Que luxo que é esta posição mais elevada. Parece que estou numa montada nova. Ainda assim e apesar deste avanço ser mais "avançado" que o anterior, se tivesse mais uns milimetros não faria mal. Mas está óptimo.

Depois de chegar ao topo da serra (o que me doeu..) comecei a descer que nem um louco e como o vento soprava fraco deixei-me ir até aos... 67 km\h.
Na Sécil optei por virar para a Comenda e ao chegar a Setúbal senti que a volta estava curta e não me apetecia parar. Para onde seguir então? (as dúvidas persistiam).

Virando costas à serra, meti a talega a fundo e não mais tirei até ao fim
Fui-me deixando ir e palmei a Luisa Todi toda repleta de gente e trânsito, demonstrando que a bicicleta era ali a melhor opção. Vi a inveja nos olhos de muitos condutores que ultrapassei a grande velocidade enquanto as suas viaturas paravam imóveis nos pequenos engarrafamentos. Confesso que me deu um certo prazer.

Segui via ribeirinha até à zona industrial e apanhei a ligação Praias do Sado para a estrada do alentejo. Nova dúvida: virar para Setúbal ou para o lado oposto? Decidi ir até Aguas de Moura.
As pernas começaram então a dar parte fraca e uma barra energética, uma banana e um bidon de isostar ja tinham marchado.

Nunca vi a distância já percorrida e nem pensei nisso. Apenas deixava as pernas mexerem-se.
A playlist (mais uma do shufle do pc) não era grande coisa apresentando-se demasiado macia para o esforço de então.
Ao chegar ao Poceirão, já depois de ter enfardado um dos belos bolinhos de Idanha-a-Nova que entretanto recebi ontem do McDaniel (os meus agradecimentos aos seus queridíssimos pais), estava na hora de recorrer ao gel energético (finalmente!!!!).
Mas para meu mal o efeito não foi o desejado. Nem sequer um leve ânimo psicológico. Nada. As pernas continuaram a doer e a força continuou a mesma.
Também se poderá dizer que sem o gel a força nao teria continuado a mesma, certo? Não sei. É discutivel.
O que é certo é que vinha já numa pedalada sofrível com o mau estado do piso a não ajudar.
No Lau olhei para um toldo que pendia daquilo que em tempos foi uma loja do comercio local. Dizia: Bazar do Lau - roupa senhora, criança. Eu só pensava mesmo em basar do Lau e chegar a casa o quanto antes.

Na subida para os semáforos do Intermarché da Volta da Pedra senti-me como se tivesse a subir para o convento outra vez. E estamos a falar de uma subida de nada. Mas a talega nem aqui teve folga.

Quando parei à porta de casa fui vêr os totais e....
97 km com 1.000m de altimetria???
Pois nao era para menos já que juntara quase duas voltas habituais.
Muitos alongamentos, àgua fria no banho e uma massagem à noite, espero eu!

A volta no garmin fez um desenho curioso. Ver aqui.

Amanhã há btt

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

E é assim...

Quando estive nos "não convocados" por causa de uma constipação fizeram fins-de-semana de sol e só dizia:
"Estou mesmo para ver. Assim que ficar apto vai chover que é um disparate"
É certinho que nem uma "alfarreca" junto ao casco do ferryboat.


A coisa amanhã de manhã vai estar feia. Resta esperar que se salve o domingo de btt e que por algum milagre consiga ir na segunda-feira de manhã para a estrada estrear o novo guiador da Scott e avanço da BBB.

Depois da plástica, até parece outra. Agora de nariz arrebitado!


Resta experimentar e ver se a nova posição é confortável. O guiador anterior old school apontava para o chão e fazia doer as costas.


O novo avanço tem mais uns milimetros que o seu antecessor. Estou curioso... A fita também é nova.



Pormenor das novas peças.






E com 85 euros até parece que ganhei uma nova máquina. Juntando um selim e respectivo espigão mais modernos finalizará o "lifting" que lhe devolverá o glamour que merece e fará corar muitas modernaças que por aí andam.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

À boleia

24\10\2010
Arrábida

Saída atrasada. As 08:30h já lá iam e nisto encontramos pelo caminho Tipichas em grande sprint (quase que não era ultrapassado pelas folhas das árvores que deslizavam pelo chão empurradas por uma leve brisa :-)))
Contou-nos que ia ter com o seu gang do costume e mais uns espanhois que conheceram numa prova e que vinham agora conhecer os nossos trilhos.
Junto da cobra encontrámos alex com novo cognome (destroya: vem do inglês destroyer e de Tróia. A mistura deve-se ao facto de andar a partir material comó caraças tal a força que ganhou nas férias em Tróia, obviamente).
Com ele estavam os tais espanhois com sotaque do norte (???).
Decidimos seguir todos juntos e fomos à boleia deste animado grupo percorrendo os caminhos do costume.

O piso estava excelente e as principais descidas foram uma delicia.
No final contabilizavam-se poucos km mas alguma altimetria (800m).
Ficou a vontade de ir outra vez.

domingo, 24 de outubro de 2010

Boomerang

23\10\2010
ciclismo
Setubal-Azeitão-Sesimbra-Cabo Espichel e regresso pela mesma via

"Manhã di sol... meu iá iá meu iô iô.."
Manhã de sol confirma-se mas não houve nenhum iô-iô. Foi mais mesmo boomerang: vai e volta exactamente pelo mesmo percurso.
A constipação ainda cá andava e as dificulades respiratórias foram óbvias. Também evitei a serra propositadamente já que a semana foi fraca (para não dizer nula) em treinos.
Mais uma vez segui contra a maré. Enquanto seguia até Azeitão pela nacional, fui-me cruzando com outros ciclistas e fiquei uma vez mais com a sensação de ser o único naquele sentido...
Giro giro foi ver um peão a atravessar a estrada e a seguir na minha direcção (!!!!), um ciclista que seguia fora de mão (????) e um automóvel que simplesmente seguia ao meu lado por um minuto (???!!!!).
Mas isto anda tudo louco?
Fora isso e o pingo constante no nariz tudo normal.
Bem, as forças também se fizeram sentir mas pela sua ausência. À saida do Cabo Espichel com o vento característico da zona a bater de frente, parecia que estava a dobrar o Cabo das Tormentas e já cheguei a casa meio roto.
Como a volta era praticamente a direito (parece...), optei pelo prato maior do principio ao fim.

Números finais:
tempo: 03:02 h
distância: 77 km
altimetria: 782 m
velocidade média: 25,5 km\h

A volta no garmin aqui.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Diz que não chove

22\10\2010

Parece que chuva só mesmo o continuar do pingar do meu nariz. Ontem ja deu para fazer uma aula de cycling sempre de boca aberta como uim peixe fora de água. Horrivel.
Amanhã saio para a estrada. Vamos lá ver o que dá.
Entretanto já aí está a Expo anual no Cnema - Santarém com as últimas novidades e outras.
Ah é verdade. Ainda a dizer que para os fãs de Armstrong vai-se realizar em Salvaterra de Magos uma maratona que apoia a fundação do próprio. As inscrições já estão abertas.
É ver mais aqui.
E já agora recomendo: this is a hell of a race

E que domingo haja btt!

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Já cá faltava.

20\10\2010

Actividade nem vê-la desde quinta-feira passada quando dei boleia a uns bichos que nao mais largaram o corpo.
O vicio para pedalar é enorme mas o corpo não reage. Malvada fruta da época. Espero que plo menos fique ja arrumado o tema para o resto do inverno.

Entretanto, coincidencia ou não, com toda esta crise até o mundo bloguista anda pouco movimentado. Mal se vêm novos posts por aí.
Será que também já são tributados? (gracejo óbvio sem jeito nenhum)

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

BFF

Decorreu no passado fim-de-semana mais um Bike film festival e mais uma vez faltei à chamada, com muita pena minha.






Se no sábado o btt terminou mais cedo, no domingo nem houve lugar a sair de casa, consequência de uma dor malvada na bacia. Espero não ser pubalgia, já que o principio dela foi-me diagnosticado à uns meses valentes atrás.

Para quem quiser ver umas "treilas" do que por lá se passou:
http://www.youtube.com/watch?v=PIYCcKc_BDk&feature=player_embedded
http://www.youtube.com/internationalbff#p/a/u/1/vj1VMKPDXGU
http://www.youtube.com/watch?v=On8XVb5WLcA&feature=player_embedded
http://www.youtube.com/watch?v=zPBC7LQGe2o

sábado, 9 de outubro de 2010

calcanhar de Aquiles outra vez

Sábado, 09\10\2010
Btt - Arrábida

Mais uma carga de àgua caira na véspera. Ficou combinado combinar na manhã. E assim foi. Às 07:30h tocava o telefone para tocar a reunir às 08:30h.
A manhã estava soalheira como no Verão.
Muita força, disposição e ânimo marcaram o arranque. Só que o azar estava à espreita.O fio dental não correu pelo melhor e nem alguns sinais que poderiam ter servido de alerta, desmoralizaram a tribo (primeiro uma oliveira tombada que carinhosamente devolvemos à sua posição original e depois um buraco fundo no meio do single que enchemos de pedras e calhaus).
Para o final estava guardada a lama. Quilos de lama. Toneladas de lama.
E tudo veio a acontecer depois. Dropout do Alex "lighthouse " à vida.
Eu que já me sentia solitário nisto de partir dropout´s .
Fim de volta...

Entretanto queria deixar aqui um agradecimento especial ao temporal (que mais uma vez não aconteceu) e ao futebol (selecção nacional) na tv.
Deu direito a ter o "tanque" inteirinho só para mim ontem! Xpetácaaaal.

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Rota dos aromas II - nova temporada

05/10/2010
Setúbal-Pegões-Setúbal



Feriado à terça-feira a cair que nem ginjas para iniciar a temporada de ciclismo.
De véspera muitas dúvidas sobre o trajecto a efectuar e a escolha acabou por recair num plano de 70 km (talvez um pouco exagerado para começar mas efim).

O seu nome? rota dos aromas, um tragecto já anteriormente realizado. Mas desta vez não tive o prazer de apurar qualquer aroma. Nada mesmo a não ser o fumo de uma queimada ou duas.
De resto, foi o habitual disfrutar da pedalada ciclistica com a dor no pescoço e no rabo a fazerem-se sentir já para o fim. É a falta de calo (no entanto, comparando com a última volta em Agosto, poucas diferenças existem (vêr aqui).

Gostei de ver tanta gente na estrada. Muito bom sinal.

no fim:
distância: 73 km
tempo: 02:57h
altimetria: 409m

domingo, 3 de outubro de 2010

1,2, 3 ja cá estamos outra vez!

02\10\2010
Arrábida

E depois de dois longos meses de inactividade bttiana dá-se o regresso tão desejado. Para o ano isto (2 meses) não vai acontecer.

Compareceram à chamada, alex farol, mcdaniel e vinagrokorov.
Uma volta a cruzar a serra estendendo-se para os lados de Azeitão. O terreno muito seco proporcionava quedas por resvalar e fazia levantar muito pó que se misturava com os belos aromas fortes da natureza.
Pelo caminho ainda fiz um curativo básico a um gajo que tinha um gemeo dentado por uma roda dentada (parece que o selim se partiu) e "rebocámos" dois azeitonenses que andavam meio perdidos.

Tempo: 03:00h (certinhas)
distância: 43 km
altimetria: 740 m

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

desporto vs política

Porque não só de desporto se vive cá por casa, abro um parêntesis para um pequeno espaço político, e até facilmente posso conjugar ambos temas.

Senão vejamos:
Um qualquer clube ou até mesmo a selecção nacional joga no estrangeiro e regressa a Portugal. O resultado foi miserável e o "zé" (zé povinho) vai para o aeroporto da Portela mandar vir. Chama nomes, cospe, agarra, dá com bandeiras nas cabeças e só não bate mesmo porque o zé é como o cão: ladra muito mas não morde.
Um qualquer jogo interno termina e o clube forasteiro mete-se no seu autocarro e parte de regresso à sua terrinha. Lá vai o zé apedrejar o autocarro, furar pneus, riscar a pintura.


Ora e o que é que isto tudo tem a ver com política? Pois muito bem, passo a explicar já que o leitor continuou a ler até aqui (mas aviso-o já que assunto desporto terminou):
É só transportar a realidade supra para esse grande universo que é a twilight zone governamental do país.

Porque é que o zé não vai esperar o deputado que foi aos Palops, ou ao Parlamento Europeu, ou a qualquer outro destino de férias, ah.. de passeio, ah... de trabalho queria eu dizer, e lhe chama uns nomes valentes? e lhe dá com a bandeira nacional na cabeça? e lhe cospe para cima?
Ou porque é que o zé não vai para a autoestrada apedrejar o bmw ou o mercedes ou qualquer outro veiculo de 60.000 euros ocupado por um corja corrupto politico qualquer?

Ah, já sei, porque essa viatura é do zé e foi paga pelo zé.

Olha zé, eu nem ´sou pró violência nem quero vir para aqui insentivar esses instintos. Por mim podes continuar só a "ladrar" à tua maneira.
Mas olha zé, já que o fazes tão bem em relação ao futebol (continua a ir para a Portela assobiar a tua equipa enquanto o teu político assobia de contente na vida e te f***** sem que tu sequer saibas o seu nome com execpção feita ao ministro Socras que toda a gente conhece), porque é que não o fazes também para com tudo o resto que é o que te põe e tira comida no prato???

Cá em casa já se implementaram medidas de austeridade:

- papel higiénico de folha simples. Arranha mais mas é bem mais baratinho que o de folha dupla .



E já agora se o Governo implementasse esta medida lá pelos seus organismos, a julgar pela merda que fazem devem gastar um dinheirão nesta matéria, era fazer as contas e ver o que poupavam.

Mas diz o leitor: folha simples tem mais risco de rasgar e sujar as mãos de merda.
Ora senhor leitor, assim como assim, as mãos cheias de merda já eles têm. Com a diferença que a limpam a folha dupla, colorida, com desenhos e perfumada, paga por nós!


E o senhor leitor dono de uma loja de bicicletas não se ria. Porquê? Está a ver aquela bicicleta ali na sua loja que eu ia comprar? Pois vai continuar a vê-la por mais tempo.


Desculpem lá qualquer coisinha mas tinha que desabafar.

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Getting serious

29\09\2010

Parece que a "coisa" finalmente arrancou.
A semana passada foi para aquecer os motores. Esta semana já está a dar ligeiros sofrimentos para começar a ir na direcção correcta.
Esta época existem 3 objectivos e 1 grande objectivo:
objectivo 1: fortalecer tronco - trabalhar o abdominal, bicips, peitoral, ombros e lombares essencialmente.
objectivo 2: fazer uma maratona btt por mês - desde que o tempo (tempo igual a disponibilidade e metereologia) o permitam
objectivo 3: aumentar a distância em estrada (ciclismo) nas 4 horas matinais de sábado.

objectivo grande: não parar com o plano mas nada de obsessões.


O programa de treinos está assim:
2ª feira: descanso
3ª feira: exercícios com manguitos; programa "one hundred pushups"; programa "two undred situps"; cycling 2 aulas
4ª feira: exercicios com manguitos; programa "one hundred pushups"; programa "two undred situps"; natação
5ª feira: cycling
6ª feira: exercicios com manguitos; programa "one hundred pushups"; programa "two undred situps"; natação
sábado: ciclismo estrada
domingo: btt


Entretanto já começaram os Mundiais de ciclismo. Pena não poder acompanhar em directo (uma vez mais).
http://tv.eurosport.pt/cycling/storynews_sto2485509.shtml

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Uma outra espécie de treino

Trabalho no campo, vida dura. Musculos todos exercitados com uma leve dor nas costas.

A semana passada começou lenta e esta ja vai ser para entrar a sério no ritmo da coisa para não mais parar!





Zembora manel!

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Nada é que não é nada

ou abreviando, "nada é q né nada"!

De que falo? do dia da Mobilidade cuja data foi assinalada hoje um pouco por toda a parte, incluindo a cidade de Setúbal.
Mas incluindo de que jeito?
Bom, pelo que me pude aperceber a acção desenrolou-se numa (minuscula) artéria da cidade, nomeadamente na rua que acede à CMS e que desagua na 22 de Dezembro. Esta foi cortada ao trânsito com a denominação de "zona de emissão de CO2 reduzida". A acção ficou a cargo de uma marca automovel que fez aí um stand com os seus hibridos, e pouco mais se fez notar.

Da pouca quase nenhuma informação que me chegou às mãos enquanto mero residente na cidade (e note-se que chegou só no próprio dia e não antes como seria recomendável) de pouco mais pude aperceber-me o que faz desta celebração (!!??) um fiasco.
Mas lá está, nada é q né nada!!

domingo, 19 de setembro de 2010

Extraordinário

É a palavra mais adequada para descrever a etapa de ontem da Vuelta. Uma prova que não contou com alguns nomes sonantes do panorama do ciclismo mundial mas que não deixou de ser interessante a culminar com um final digno de um registo de um filme americano.
Simplesmente extraordinário!

Hoje igualmente extraordinário foi o derby entre o Man Utd e o Liverpool (3-2). Um autêntico recital de futebol bem jogado e praticado sem fantochadas, assim tal e qual como vai ser o derby lisboeta de hoje (ahahhaahha) sem casos, sem jogadores no chão deitados eternidades, etc (ahahahahahhaha).

sábado, 18 de setembro de 2010

motor de arranque gripado

18\09\2010

Ainda nao foi desta. Uma semana depois do regresso das férias e ainda não retomei a rotina física habitual.
Por este ou aquele motivo tem faltado disponibilidade. Ontem fui fazer uma aula de cycling e ja deu para sentir que as pernas estão pouco oleadas. Agora há que ir devagar.
Este fim-de-semana será em branco, se excluir uma futebolada hoje à tarde incluida num pequeno convivio.
Assim, para a semana é que é!

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

boas prácticas\boas ideias

09\09\2010

Eis uma demonstração do querer aliado ao prazer de andar de bicicleta e ao ambientalismo.
Nota 10!
(vão carregando no nº das páginas para perceberem do que se trata: 1, 2, 3 ...)

http://www.camisolaamarela.com/

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Boomerang

08\09\2010


Já fui e já voltei que nem um boomerang. No entanto o regresso à actividade física fica para a próxima semana.


O corpo agradeceu...


... e a mente também.

sábado, 14 de agosto de 2010

Números e contas

Um homen nunca pára. Lá se vai dizendo que parar é morrer. Mas assim como assim e numa fase em que a frequente correria de exercicio vai diminuindo até culminuar nas férias tão esperadas, pergunto-me a jeito de balanço final de época:



- quantos e quantos km de alcatrão já roçou nas rodas da masil?
- e mais quantos nas da Gt?
- e quantos poucos mais (infelizmente) na da Mérida?
- quantas horas passadas em cima do selim?
- quantos metros trepados?
- quantos trilhos dropados?
- quantas quedas dadas?
- quantas feridas saradas?
- quantos furos furados e remendados?
- quantas provas efectuadas?



Nunca fui maluquinho dos nºs e por isso não faço anotações de maior apesar de até ter resposta para algumas das perguntas supra enunciadas (no site do garmin estão as voltas que com registei com esse aparelho, mas faltam lá muitas. O vdo 1.0 tb terá um total qualquer das voltas na Gt e no Excel guardo registo das provas\maratonas. Mas não importa.


Tudo o que continuo a fazer é em prol do prazer e não concretamente de um ganho qualquer, embora não descure obviamente tentar sempre melhorar o desempenho físico.

E é nesse prazer que encontro resposta para TODAS as perguntas.

Planando baixinho

14\08\2010
Setubal-Pegões-Setubal

O que acontece quando se juntam:
- pouca carga de treinos (spinning terça e quinta e mai nada)
- um jantar de massa;
- uma noite bem dormida;
- vontade de pedalar;

Força na perna, muita força!

Uma volta por um percurso que vai ficar para mais tarde repetir quando não houver vontade de trepar paredes. Bom alcatrão para rolar a puxar, planando baixinho.

Logo no inicio na confusão da Volta da Pedra ultrapassei um compadre que levou um "bonito jersey", embora fosse feio (igual ao que eu estava a usar!!)
De Pegões a Aguas de Moura tenho a noção que a cadência foi sempre elevada e não deixei a velocidade cair abaixo dos 30 km\h. O vento? nem dei por ele.
Senti-me completamente ausente da estrada. Parecia que pedalava no ar (o centeio do meu pão do pequeno-almoço deve ter sido cultivado num campo de "papoila").
Dores nem senti-las: nem costas, nem pescoço, nem pernas, nem cú nem nada. Extraordinário.
Mais uma vez não tomei o gel (e qualquer dia vão para dois anos de prazo de validade expirado).

Já perto de casa e só para quebrar o ritmo, dei boleia a um furo lento. Alguns kms depois não tive outro remédio senão deixá-lo ali mesmo. E coitadinho deli por ali ficou na beira da estrada e nem as habituais quengas lhe valeram (ao que parece tb vão de férias).
Por falar em férias, ao passar por cima da tó-estrada vi fila para o Algarve. Amanhã ja estarão lá todos ou como dizem os amaricanes "tomorrow they will be all garve!

A volta no garmin aqui (record de velocidade média: 26,8 km\h) (impressionante a interminável recta entre Rio Frio e Poceirão).

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Ja cheira

09\08\2010

... a férias.



A molenga vai-se apoderando do corpo que a custo vai reagindo, mas pouco.

No sábado de manhã houve direito a uma aula de spinning bem puxadinha para estragar uma semana de inactividade.
À tarde pela fresquinha que não se deu, houve peladinha para matar saudades.

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Alentejo Talega 50

01\08\2010
Alentejo


Avizinhava-se mais um dia abrasador. O despertador tocou às 8 da manhã. Ignorei-o por completo e só me levantei uma hora mais tarde. Afinal estamos no Alentejo, é domingo, ninguém me espera logo não há motivos para correrias. Os caracóis da noite anterior concordavam com este ponto de vista.

Depois dos afazeres agrestes ainda sobrava tempo pela manhã e fui então em busca da Masil. Na véspera pus o sensor da cadência a funcionar. Depois de alguns ajustes no suporte e de uma pilha nova acabei por perceber que o necessário era fazer o emparelhamento novamente.
Trouxe de casa um track de 80km muito jeitoso feito por mim mas já não tinha tempo para o realizar. Assim saí à sorte cheio de vontade.

A oficina alentejana ao ar livre está linda nesta altura do ano.


Fui virando aqui e acolá e dei por mim numa estrada quase deserta e com um alcatrão maravilhoso rasgando a típica paisagem alentejana.


Até parecia que o Alentejo era "enteirinho" só pra mim.
.

O gado local, cavalos, vacas, ovelhas, resguardado à sombra debaixo de chaparros, levantava as suas cabecinhas e acompanhava a minha passagem. Era engraçado observar esses movimentos. Senti-me como uma bola de ténis num jogo com court cheio.

Beber e beber muito foi regra impreterível. Como o terreno era de pouca inclinação deixei a acção a cargo da talega. Por momentos uma ou outra brisa frontal quase que me fizeram mudar de ideias. Quase…

Sem dar muita importância para onde ia fui de repente surpreendido com Juromenha e fiquei encantado.

O gps ja mostrava o Guadiana enquanto fronteira e Juromenha logo ali.


Quando o Verão passar vou voltar de bicicleta na mão para seguir na senda destas “pastagens”.


O Castelo é fabuloso e bem maior do que expectável.

.

Pena é estar tão maltratado (um caso típico luso)

.

Noutros tempos estas ameias combateram e venceram os espanhois. Agora combatem a erva seca e a erosão e estão a perder por muito...

.
Rio para um lado e para o outro e planicie sem fim. Subidas nem vê-las.























A fotografia da praxe!

.Um momento de reflexão...

..... e um outro de contemplação.

.

.

.

Um curioso pensamento que me ocorreu enquanto pedalava: foi precisamente aqui no Alentejo que aprendi a “andar de bicicleta” (como isto soava tão bem quando era miúdo e como soa tão nostalgicamente bem agora). Quem diria que anos e anos mais tarde voltaria a pedalar por terras do celeiro de Portugal?


Em Juromenha o meu telemóvel apitou. Fui ver e era uma mensagem tipo: “A rede *** deseja-lhe uma boa estadia. Na União Europeia custo max, bla, bla, bla”.

sábado, 31 de julho de 2010

Switch to night vision

29\07\2010
Arrábida

E à hora marcada, depois de atrasada e adiada e depois dos mais que previstos imprevistos com o material de iluminação, alex farol, mc daniel e eu partimos já na penumbra da noite.
Poucos momentos depois fazia-se uma paragem forçada para mais uns pequeno retoques nos "faróis". E alguns metros mais adiante nova paragem por idêntico motivo.



Um problema técnico ou uma súbita caganeira??

Enquanto galgávamos a cobra, gabávamos a noite esplendorosa que se fazia sentir e falava-se de bicicletas de titanium e roda 29. Há por aí um gajo que anda com ideias...

.

O lusco fusco permitia no momento rolar sem problemas mas foi ao chegar aos moinhos que percebemos o quão fracas eram as nossas luzes.
Ainda assim o bando nao desanimou e a pedalada seguiu a bom ritmo forçando sempre um pouco mais de velocidade do que o recomendado.

Ao longe, Lisboa nunca foi tão bonita...

Mc Daniel então estava completamente desalvorado e desaparecia na capa preta da noite. Surge pois uma nova alcunha: morcego.
Este bicho, ainda que dotado de uma vizão adaptada para as situações mais adversas só não conseguiu evitar uma quase queda\cambalhota no tanque. Vá-se la saber o que foram fazer estes gajos para o tanque!!!???

"Trazer esta bussola a energia solar não foi grande ideia"



A sensaçao de não saber onde se punham os "pés" foi uma constante e por isso era frequente recorrer a canticos de musicas badalhocó-romanticas para acalmar a adrenalina. Assim "comássim" no escuro ninguém ouve.
A coisa terminou lá para perto das 23:30h com mais ou menos 30 km na peidola e muita mas mesmo muita fomenga mas ao mesmo tempo de barriga cheia por termos passado um maravilhoso serão.

Que noite de verão...


Ártáistic foto or something in the midle



E em principio assim se fechou a época ao btt.


terça-feira, 27 de julho de 2010

Últimos cartuchos

27\07\2010

As férias aproximam-se a passos "curtos". Eu até nem sou de falar disso mas sinto no corpo o desgaste dos últimos tempos (se bem que depois de lêr o rescaldo dos portugueses verticais - ver mais aqui - quase que tenho vergonha nisto que acabei de escrever).


Os últimos cartuchos estão aí e para se gastarem e esta é a última semana dos treinos de natação porque em Agosto fecham o tanque.
.


Quinta-feira é dia de sair para uma nocturna de btt, sugestão do mestre faroleiro! Quem mais vem?

Obrigatório levar luz nem que seja um pirilampo esparamado no capacete.

domingo, 25 de julho de 2010

Grupagem

25\07\2010
Setúbal-Azeitão-Sesimbra-Azeitão-Setúbal

Fomos ter aos ferry´s. A ideia era aí encontrar aos bichos do brevet. Sem grandes referências no que respeitava à hora de chegada, decidimos após alguns momentos de espera, seguir pela N10 ao seu encontro.
Pouco depois (3 ou 4 km) passávamos por eles. Gritámos, esbracejámos mas sem sucesso. Ainda hesitámos mas já embalados pela vontade de pedalar decidimos continuar na mesma direcção. Boa sorte foi o nosso desejo para aqueles dois.

Entretanto esta era a primeira vez que fazia estrada em grupo e experiência até que foi agradável. Contudo há que habituar ritmos, cadências e afins. É completamente diferente. Por exemplo: parar bruscamente após uma subida a bom ritmo criou-me tal má disposição que dizia que a minha manhã acabava por ali.
De resto foi um bom passeio e uma agradável manhã já com o calor a apertar mesmo para o finalzinho.
A volta no garmin aqui.

sábado, 24 de julho de 2010

Acabou

24\07\2010

Acabou mais um Tour (falta o epilogo amanhã). Contador saiu vencedor mais uma vez. Apesar de não estar ao seu maior nivel, teve a inteligência e forças necessárias para controlar etapa após etapa todos os demais adversários e ainda teve a "sorte" que habitualmente acompanha os campeões.

Entretanto, Fabulous Cancelara dá mais um xou de contra-relógio.

Ficamos agora a aguardar pelos dopings... Por cá, Nuno Ribeiro foi suspenso dois anos e perdeu o título que havia conquistado em 2009.

O nascimento de uns heróis

24\07\2010

A palavra "herói" entrou em desuso na actualidade. Já pouco se utiliza e até quase que soa mal ouvi-la.
Longe vão os tempos em que dizer "herói" preferencialmente juntando-lhe um "super" antes, fazia tremelicar até os mais rijos e insensiveis à matéria.
Com o passar dos anos muitos (senão quase todos) foram reformados, enterrados, esquecidos ou ostracisados e não fosse a veia aproveitadora de Óliude e nunca mais ouveriamos falar deles.
Infelizmente Óliude fê-los regressar mas na habitual forma "bom-mau-vilão-amor-acção com fartura-duelo final", ou seja, um fracasso.
Heróis como o Homem Aranha, o Homem de Ferro, os X-Men, etc, etc mais valia terem ficado apenas no nosso infanto-imaginário e no fundo da gaveta das meias.
Mas não. Esses senhores de Óliude assim não entenderam e o voltar a ouvir a palavra "herói" não ajudou a torná-la novamente popular e agradável.

Por esta altura perguntar-se-ão qual o motivo de tamanho off-topic. Porque carga de àgua viria de repente falar de Marvel, DC Comics, etc, de forma tão saudosa e revoltada?
Ora meus senhores, é que isto não é um off-topic.
Numa época em que nem heróis de banda-desenhada nem outros proliferam (Socrates não é herói, o Cristiano Ronaldo não é herói - bem longe disso - o João Garcia tenta tenta mas quase ninguém lhe liga, o Sergio Paulinho foi quase um herói - falta ganhar o Tour - o Saramago não é herói), surgem assim sem mais nem menos dois seres de outra galáxia cheios de super-poderes prontos a mandar uma pedrada nas àguas turvas e paradas do charco (charco leia-se Portugal).

Os "heróis" de quem vos falo nasceram hoje e já poderão ser encontrados a partir de hoje mesmo por todo o país.
Adianto somente a palavra "Brevet" e a insignia "BRM". O resto está por conta dos próprios em
http://adinamicadopedal.blogspot.com/.


Eu e o rui "aventuras" vamos "apanhá~los" em Setúbal e seguir na sua roda por uns tempos. Não dá para não adorar este conceito para quem, como eu, não transborda espírito competitivo por todos os póros e orifícios do corpo e gosta simplesmente de ir...
Bravo rapazes!

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Teste k.o.

18\07\2010
Arrábida - caminhada


E num de repente troco as bicicletas por uns tennis confortáveis e uma mochila de pouco mais de 11 kg às ´costas.
Qual a ideia de tudo isto? Fazer um teste para o programa das férias.

Tudo corria pelo melhor: a conversa fluia em torno de temas tão variados como a própria vegetação da serra, mas redondava principalmente em conversa da treta com muita bacorada seguida de gargalhada geral.

Do percurso pouco a dizer. A ideia era subir o máximo possivel para fazer um acumulado equiparado ao que se vai apanhar, mas não aconteceu nem de perto já que a Arrábida não podia dar mais. Foi assim uma espécie de Selecção Nacional a estagiar na Covilhã para depois ir jogar na Africa (tudo a ver).

A manhã foi avançando e o peso da mochila não se fazia sentir por aí além ou tanto quanto esperava.
Um dos pontos altos, não só no sentido lato da coisa, foi chegar ao ponto de vigia\controlo florestal das pedreiras e ver o seu ocupante a espreguiçar-se e ver-nos atónito a sair do meio da mata pelo lado da Capela de S. Luis.


O arranque foi pouco mais ou menos perto das 07:30h com o seu término às 13:30h com 24 km no bucho e uma dor no joelho que ou muito me engano ou fez cair por terra o sonho de umas férias maravilha.

Frustrante.

sábado, 17 de julho de 2010

Oito biscoito II

17\07\2010
Ciclismo - Arrábida

O gang até antecipou a volta de btt para hoje mas eu já estava feito para a estrada e cheio de saudades com o Tour a comer-me o juizo.
A ideia era sair bem cedo e pedalar até mais não mas o corpo sentia necessidade de descanso e acabei por iniciar a sessão já às 08:30h.

Em cima da hora carreguei um treino antigo (Oito biscoito) e saí seguindo-o competidno contra o zé virtual, ou seja, contra mim próprio.
Confesso que tem muita piada fazer isto. Só é pena o zé não ser grande falador...
Pouco depois de ter iniciado reparei que o garmin nao estava a indicar a cadência e parei. Não resolvi o problema (tenho que ver isto amanhã) e o zé virtual ganhou 450m de vantagem o que me fez soltar um f***.

O "oito biscoito" envolve duas subidas à serra: uma pelo lado do 7º da Bateria ou pelo lado da Secil se preferirem, e outra pelo lado das praias. Ou seja, é coisa para fazer estrago.
Isto queria dizer que acelarar para apanhar o zé poderia vir a ter consequências trágicas mais tarde.
Mas pensando no que li algures (sobre treino de natação) não penses no esforço que vem depois e dá o que tens neste momento sem esgotamento. E foi assim que acelarei (esqueci-me é que não estava a nadar).

Quando virei para a primeira escalada já começava a deixá-lo a comer o meu pó e ao chegar ao topo (Antenas) já tinha um avanço que com o desenrolar da manhã acabou por chegar a uma distância bem maior que 2 km. Será possivel?
Certo é que no final fiz o oito biscoito em menos 12 min que da primeira vez que foi à dois meses atrás.

Fica o registo também para um novo record de velocidade: 69km\h. Não me posso entusiasmar. Numa desconcentração quase saí a voar tipo parapente. Mas é cá um gozo...

Por incrivel que pareça vi muita gente a fazer estrada quer com bicicleta de ciclismo que com btt mas curiosamente todos seguiam sempre em direcção oposta à minha...

No topo da serra reencontrei uma velha amiga mas quando me preparava para finalmente dá-la a conhecer ao mundo blogueano por intermédio da minha lente, um carro afugentou-a. Foi pena mas foi gratificante saber que ainda anda por ali. Havemos de nos ver outra vez.

Tudo o mais foi o habitual: o esforço das duas idas ao cume da Arrábida (tem momentos que até parece nao ser possivel) e um grande prazer em pedalar.
No fim como me sentia bem deu para sprintar até casa.
Depois almoço e Tour de France no sofá.

Amanhã é dia de teste para o que há-de vir nas férias. Implica levantar cedíssimo e desta vez sem falhas. Mas por hora nada mais digo.

A volta no garmin aqui.

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Ainda sobre a última maratona

Ficam as fotos aqui do artista (fotos à borla disponibilizadas pela organização à borliu. Muito bom).



Sozinho no mato (como eu gosto destes momentos)


Na recta final "trabalhando"^para o camisola amarela!
.
À chegada, o meu rosto não escondia o desapontamento por ter acabado cedo demais.

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Crise

14\07\2010
Setúbal

Enquanto quase me afogava na nataçao ontem tal era a falta de forças que se apoderou de mim inexplicavelmente, e enquanto só pensava na vontade de grandes jantaradas, petiscos, vinho tinto (mas do bom) e cerveja fresca, vinha-me à cabeça a prova do domingo passado.
Soube-me mesmo a pouco e continuo a recriminar-me por ter falhado a viragem para os 70km.

Entretanto foi procurar novas provas ainda neste mês mas conclui sobre aquilo que ja vinha constatando à algum tempo a esta parte: ele anda aí uma crise de provas de 70 para cima que é obra!
Ou seja, ou são de 40 ou são 24 horas. Assim não dá....

Isto é que vai uma crise.

terça-feira, 13 de julho de 2010

2ª Maratona de Santa Cruz

11\07\2010
Santa Cruz - Santiago Cacém

Hora para mais uma maratona.
A chegar mesmo à pele ao local pouco ou quase tempo tive para as últimas verificações, sendo que inclusive o dorsal foi colocado já em pleno local de partida e os "regalos" de oferta nem os vi. Como odeio não fazer as coisas atempadamente. Mea culpa!

Logo no arranque um problema com o disco do travão que me bloqueava a roda traseira mal me deixava rolar e vi o pelotão a escapulir-se mato adentro deixando-me a comer pó (literalmente).
Só mais adiante e depois de já estar mentalizado para fazer a prova toda em grande chinfrideira (o disco sempre a roçar nas pastilhas continuava mesmo depois de ja ter parado 3 vezes e tentado afinar a coisa), um companheiro ofereceu ajuda e uma sugestão que valeu ouro. A ele o meu muito obrigado.

Depois foi seguir com prazer redobrado.
O calor não era assim tanto como se fez sentir de véspera e o percurso era agradável com distribuição de água em vários pontos.
A sinalização estava 5 estrelas quer pelas habituais fitas quer pelas riscas e setas de cal no chão que indicavam o caminho certo a seguir.
Mas apesar de todo desse salutar aparato, uma das indicações mais importantes escapou-me (a mim e a outros tantos conforme me apercebi no final): a separação dos 40 para os 70 mal se via e um "distribuidor" de àgua ocultou-a sem querer.

Resultado? 40 km! um passeio portanto que me deixou cheio de vontade de mais.
Ainda a 8 ou 9 km do fim volto a encontrar o companheiro que me ajudara que seguia agora em dificuldades.
Argumentava algo como "demasiado calor" e "a miuda seguiu para a frente e deixou-me sozinho e detesto rolar sozinho".
Fresquinho como estava "puxei-o" até ao fim com muita conversa pelo meio. Um bom compincha.

Foi realmente uma grande infelicidade nao ter "direito" a mais pedalada. A boa disposição foi uma constante quer dos participantes quer da Organização.
Abdiquei do resto do programa organizativo e a jeito de compensação parti para uma sardinhada privada na costa vicentina com 2 ou 3 tragos de bom vinho tinto e um resto de tarde em plena praia com sesta incluida, tudo isto a colmatar um belo fim-de-semana na melhor companhia.
Perdem-se umas coisas ganham-se outras...

terça-feira, 6 de julho de 2010

LTF

06\07\2010

Le Tour de France a bombar em pleno e eu sem ver pitada. Valem-me o sábado e domingo para apanhar qualquer coisinha.
Tenho um amigo que punha férias pelas alturas dos mundiais e europeus de futebol. Quase que me dá a vontade de fazer o mesmo para o LTF.
Com mais ou menos polémicas não consigo ficar indiferente.

segunda-feira, 5 de julho de 2010

IV Passeio BTT Terra Agreste

04\07\2010
Cabriz-Sintra

Na expectativa de explorar a serra de Sintra, dois bikers inscrevaram-se e foram participar no Passeio .......
Mas a coisa não foi aquilo que esperávamos. Com o Palácio da Pena de frente e bem no alto, cedo percebemos que o nosso btt ia exactamente para a zona contrária.
Assim ao invéz de penetrarmos na bonita serra, fomos "triturar" estradões repletos de cascalho, entulho ou desperdicio (como lhe queiram chamar), onde só por uns parcos km o percurso foi pouco mais do que agradável.
A presença constante de pedra, demasiada pedra, tanto a subir como a descer foi um martírio sem fim que nem algumas descidas mais electrizantes fizeram esquecer.
O calor prometido imperou e por momentos parecia que se pedalava em Africa. Hidratação? pouca. Alimentação? nem vê-la. Um posto de abastecimento demasiado cedo onde nem parei e outro demasiado tarde onde apenas havia maçãs e bananas. Imperdoável!!

Sem me alongar em mais comentários pois a prova não merece muito mais do que isto, fica um negativismo muito carregado em relação a uma zona que tinha muito mais para oferecer. É pena.
A volta no garmin aqui.

A não repetir.

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Venham mais 70

30\06\2010

Non stop
É um "final de época" a rasgar. A ideia é aproveitar o máximo possível em jeito de compensação do que perdi desde o inicio do ano.
E não só por isso mas porque estou com a pica toda de realizar provas e mais provas
A próxima é já este domingo em Sintra. Vou eu e o alex farol explorar uma zona para nós desconhecida.
São 50 km que prometem bons trilhos e paisagens aqui pertinho de casa.




No fim-de-semana seguinte volto a provar dos 70 km agora com um pouquinho mais de altimetria e também de calor.
Há que ir esticando a corda um pouco mais de cada vez.


segunda-feira, 28 de junho de 2010

zombie

28\06\2010
Arredores de casa

Isto pode ja começar a fartar mas passou-se mais uma noite com poucas horas de sono. Começo a sentir-me como um zombie (como se um gajo pudesse saber como é que um zombie se sente).
Como a semana vai ser mais "curta" (amanhã joga a selecção e na quinta à concerto, são dois dias sem actividade física substituida certamente por uma cevadazita malandra), hoje tive de vencer a vontade de cair para o lado.

Mas ao chegar ao lar doce lar, com a cama a implorar pela minha presença, saí o quanto antes para uma corrida mesmo por ali no bairro.
Mas o joelho voltou a acusar. Definitivamente que correr não é uma opção. Valeu pelas flexões e por uns exercicios com manguitos.

Banho, xixi e cama por favor.

domingo, 27 de junho de 2010

A toque de doping

27\06\2010
Arrábida - btt



Às 08:30 horas já pedalava em direcção da baixa de Palmela para o render vouz com Alex farol, isto depois de uma noite muito pouco dormida (outra vez).

Com a manhã a prometer calor, adivinhavam-se dificuldades...

Depois da habitual cobra para aquecer feita a bom ritmo, e dos habituais moinhos e fio dental, decidimos rumar à falésia.
Pouco depois os batimentos cardiacos pedalavam pelas pernas e no drop das pedras houve ainda um pico de rpm adicional.

Depois seguiram-se alguns minutos a redescobrir o caminho certo para o Parque de Campismo do Barreiro onde houve direito a uma paragem com assentamento de espadas na esplanada.

O regresso fez-se a escorrer suor fruto do calor e do ritmo imposto enquanto já só pensava no sofá e na sesta que lá ia fazer.

Os principais obstáculos foram todos ultrapassados a toque de doping. O estupfaciente utilizado dá pelo nome de mp3 com uma playlist do esgalhanço a quem dedico esta vitória, a de me manter acordado!

sábado, 26 de junho de 2010

Com as pilhas todas

26\06\2010
Ciclismo
Setúbal-Azeitão-Cabo Espichel e regresso pela Arrábida Convento



Depois de uma boa semana de treino (os 70km de Cuba não deixaram marcas), findada com uma natação ontem à noite, que só pecou pelas poucas horas dormidas, hoje resolvi reeditar uma volta já anteriormente feita.

E por esse feito, parar no Cabo Espichel foi junto à Capela das Memórias. Um belo momento para comer uma sandocha contemplando uma das mais belas vistas de Portugal.


A diferença desta volta esteve na cadência. Optei por apertar um pouco mais a ver como me saia. Também me esforcei para trabalhar a postura em cima da bicicleta. Ainda há muito trabalho para fazer neste campo.

O calor ja se começa a fazer sentir o que provoca um desgaste adicional. Ainda assim foi uma boa volta.

Ressalva só ao facto de ter levado duas pilhas para o mp3 mas ambas descarregadas. Deu direito a parar num supermercado em Azeitão (ja começa a ser um hábito visitar estas superficies na terra das tortas). O pior foi que so havia embalegens de 8 (!!!) e eu que so precisava de uma.

As outras 7 vieram às costas.



A volta no garmin aqui.
(pouco mais de 90km em pouco menos de 04:00horas e nada pouco prazer de pedalar.



Amanhã rumo novamente à serra mas em btt.

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Ó ráspa-te

24\06\2010
Arrábida - btt

"estou? então pá? estás onde?"
" em Lisboa"
"epá então esquece"
"não, diz lá"
"ia-te dizer que estou de saida em direcção à serra..."
"$"#%$#", dá-me 40 min que estou aí"

01:30 horas a pedalar forte e intenso.

domingo, 20 de junho de 2010

6ª Maratona BTT Cuba

Cuba (Beja)
20\06\2010






Altimetria





E chegara a véspera. Uma dúvida persistia: seguir de véspera para ir com tempo e tranquilidade ou seguir no próprio dia sujeitando-me a uma grande madrugada.

Depois do almoço acabei por optar pela primeira hipótese. Juntei a tralha toda no saco, peguei na tenda e numa merenda (jantar e pequeno-almoço) improvisada e segui para terras do Alentejo.


Antes de sair um contratempo: a Mérida Maratonista com um pneu em baixo. Se o kit tubless traseiro ja dera de si por causa de um pneu roto, desta vez chegara a vez do da frente mas sem que tenha percebido a razão.

Coloquei-lhe uma camara-de-ar e ponto final e ainda fui à bikezone comprar mais duas para levar.



Ao chegar a Cuba dei fácilmente com tudo e estava tudo ali bem à mão de semear: a secretaria (levantei logo o dorsal evitando os graneis do próprio dia), o local de partida da prova, os WC´s e banhos, o local do almoço e o local para o camping (um sitio pouco acolhedor cuja única vantagem era ser logo ali, mas do qual me arrependi de ter escolhido já que em frente, no quartel dos bombeiros, decorria um casamento e a festa arrastou-se pela noite adentro. Resultado? poucas horas dormidas).

A Organização esteve excelente a todos os niveis: tudo muito certinho desde o inicio ao fim, sendo tudo bem controlado e ao pormenor juntando uma pitada da habitual hospitalidade alentejana.

A prova em si foi marcada pelos estradões com raros momentos a quebrar a monotonia da paisagem (excepção à barragem) e nulos momentos de adrenalina (ausência total de singles).

Ainda assim a ideia principal era testar-me sobre 70 km pelo que isso era secundário embora esses momentos sempre ajudem a forçar a pedalada.


Os pit stops estavam bem carregados e havia abastecimentos de àgua adicionais (previa-se muito calor o que nao se veio a verificar. Aliás, ao acordar estava mesmo frio e um céu cinzento ameaçador que se dissipou pouco depois do pontual inicio).

Hidratação e alimentação foram dois pontos que levei muito a sério e nunca recusei uns bolos, laranjas, bananas, sumos e àguas. Ficou por tomar o gel. Uma pequena quebra aos 55 km foi resolvida com uma miraculosa banana (até deu para um sprint final de 5km), que só não me tirou uma dor na zona do pescoço (a mesma que senti no ciclismo na volta a Vendas Novas)


A paparoca final também estava bem, pecando o Gaspacho por sal a mais.


No final foram 70km (ver aqui no garmin onde faltam 5 km pq mais uma vez esqueci-me de o ligar no inicio), com uma altimetria fraquinha de 1.090m isto percorrido em perto de 04horas.


o melhor: organização cuidada e profissional
o pior: a monotonia do circuito e ausência total de singles, mas afinal estamos numa zona plana alentejana
frase que a marca: aguentar, gerir, aguentar, aguentar.


Nota final: ainda be que fui de véspera. Foi um dos melhores fins-de-semana de maratona de btt. Quando se leva alguém que cuida de nós... Beijinho baby.

segunda-feira, 14 de junho de 2010

O passo seguinte.

Já andava à procura mas ainda não encontrara aquilo que procurava para poder dar o passo seguinte: saltar para as distâncias mais longas nas maratonas.

A escolhida foi a 6ª Maratona de BTT Cuba Aventura já no próximo domingo. Serão 70 km com uma altimetria pouco exigente para a distância (900m) por forma a que possa ambientar-me à coisa.
Estou curioso para saber como reagirei mas para já impera a grande vontade de ir!

domingo, 13 de junho de 2010

O arremesso da àrvore ou o empeno do pneu

13\06\2010
Arrábida

E sem niguém o prever, de repente juntaram-se cinco gajos para o btt: eu, jorgemback, mc daniel, alex farol e tiago.

Já vem sendo invulgar um grupo tão numeroso o que só posso lamentar já que rolar em grupo tem outro dinamismo.

As motas paradas à beira da tasca.


Isto não sei bem explicar o que é...


E isto é o rir..


Visto assim até parecem uns gajos a colocar a linha do teleférico (vide Lucky Luke e o teleférico)


Mas visto assim...
video


Estava assim criado um novo desporto nacional: o arremesso da àrvore (só praticado por homens de tatuagem rija ou pelos depilados moles)

O calor foi outra surpresa que pouco se tem experimentado este ano e pôs o pessoal a destilar.
A volta essa foi um pouco diferente do habitual. Mesmos caminhos mas percorridos numa sequência diferente. Isso soube bem.


Para finalizar houve downhill e tudo corria bem até ao momento em que alex farol rebenta com um pneu, ou melhor, empena um pneu (!!!! vá-se lá saber como é que isto é possivel de acontecer. É demasiadamente incrivel para ser verdade mas foi atestado pelo técnico especializado. Ainda me interrogo como após o estrondo que ouvi, o gajo não caiu...) e eu decido dar novos rumos ao mundo dando um tralho à moda do zé do pipo mas sem zé e sem pipo. Numa avaliação de um juri, teria conseguido uma nota melhor que os portugueses conseguem no Festival da Eurovisão.

Vamos lá a sarar as feridas.

Burro de carga



Certo dia pesei tudo o que levo às costas quando saio para percorrer alcatrão.
O peso não é tanto como o do btt mas também não levo camelbak. E o resultado é:




Ajeitando o equilibrio...




Quase 800 gr!





E falta aqui a paparoca que normalmente se tece por uma sandes, uma banana, uma barra e um gel (os 2 bidons seguem na bicicleta logo não contam), pelo que tudo somado nao deve ficar longe do kilograma. Não sei se "gramo" isto mas tem de ser.


sábado, 12 de junho de 2010

Rapidinha

12\06\2010
Ciclismo - Arrábida

Uma volta rapidinha no "quintal".
As coisas nem começaram bem: o desperador não tocou; ao sair de casa começou a chover e seguindo no carro vi uma nova raça de ocupantes de paragens de autocarro (não deixou de ser curioso observar ciclistas abrigados da chuva nestas); ao chegar à bicicleta apercebi-me que esquecera os bidons com os liquidos; depois de arrancar lembrei-me que não tinha a bomba-de-ar para o caso de haver um furo... Pensei em desistir mas ao mesmo tempo o chamamento era maior. Felizemente continuei!

Como a hora já ia adiantada e não queria regressar tarde decidi improvisar um trajecto mais curto compensando com uma cadência mais rápida e pesada. A "talega" foi uma constante.
A minha preserverança foi mais que compensada com bons sentimentos. Era mesmo disto que estava a precisar.

Os detalhes no Garmin aqui. (repare-se no tempo: 2 horas certinhas!)
Fica para num dia em que haja pouco tempo, competir contra o "zé virtual"

Amanhã há sol e btt!

quinta-feira, 10 de junho de 2010

EntreCampos

10\06\2010

Não é da estação do Metro de Lisboa que vou falar nem tão pouco dessa zona.
Entre campos é o que define a volta de hoje (vivam os feriados sem chuva para o btt).
Apenas eu e alex nos fizemos ao caminho sem saber bem qual seria o caminho. Acabámos por explorar 2 ou 3 pequenissímos single-tracks que conhecera no passeio do ginásio MSports.
Para chegarmos a cada um deles houve que pedalar entre "zonas mortas" como por exemplo subir duas vezes as pedreiras pelo lado do Vale de Barris (aí fizemos um single conhecido do alex), apanhar um "atalho" na Aldeia Grande ou subir para o castelo de Setúbal vindo da Comenda.
Foi uma boa volta refrescante e tranquila abalada aqui e ali pelos habituais pontos que levam a adrenalina ao pico.

Ontem foi natação e na terça uma hiper-mega tareia de cycling. Amanhã há mais natação e depois venha o fim-de-semana.

45 km
850 m
3:11 h

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Paragem

07\06\2010
Algures

Ainda chegou a ser opção levar a bicicleta mas já não sobrava espaço na carrinha para mais fosse o que fosse.
Confesso que "ressaquei" um pouco por nao fazer o btt ou a estrada mas também soube bem estar de papo para o ar a arejar o corpinho.

Mas nem tudo é paradisiaco no reino do arejamento do corpo. As pernas sempre trabalham e ressentem-se. Há é direito a muita recuperação por intermédio de sestas e mais sestas.

Uma imagem que vale mil...anos de vida (tirada em 2007 in "same place")