quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Ciclismo: as quedas de 2011

  Video publicado pelo canal televisivo Eurosport com algumas das mais impressionantes quedas de 2011.
 
   http://es.eurosport.yahoo.com/video/22122011/47/caidas-mas-impactantes-ciclismo-2011.html

   

domingo, 25 de dezembro de 2011

The big new jump

24\12\2011
btt - Arrábida

   Dia de Natal e tal mas não sem antes juntarem-se os viciados do costume para uma volta que se queria madrugadora.

   E como já há muito que não se fazia disto, aqui fica mais um video das Produções Gaitobravo, em jeito de prenda de Natal.
   Marreco, arranca ca bóbine:



video

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Beware with the cyclist.

 Este video é um precioso contributo de turtle.

  

domingo, 18 de dezembro de 2011

Kitch do meu Portugal

Por essas estradas fora vou encontrando autênticas relíquias que despertam a minha atenção.


 Gostos não se discutem. Não são feias, não são bonitas. São kitch e por isso resolvi dedicar-lhes uma etiqueta aqui no blog.
   Resta saber se esta galeria de arte será extensa à moda do Berardo.



 O que dizer deste maravilhoso espólio? Uma grande colecção reunida toda no mesmo quintal.







 Bela maneira de começar, ou não?

Vendas Novas 100 bifana

Sábado, 17\12\2011
Ciclismo

O titulo repete-se com uma pequena alteração. A volta também se repetiu igualmente alterada numa pequena parte.

A registar logo de inicio que a distância total foi de 108,5km. Continuo teimosamente a esquecer-me de reiniciar o garmin sempre que paro em semáforos ou algo do género.
Foi uma das voltas mais lentas que fiz (vm=22,9) mas simultaneamente com uma rc média mais baixa de sempre em percursos do mesmo género (113).

A manhã nem começou bem já que previra arrancar às 09:00h. Como tive de regressar a casa pq me esquecera dos bidons (logo isto..) atrasei tudo o resto. Mas não havia hora de regresso logo não havia motivo para pressas e há sempre tempo para fotografar o paranormal como esta plantação de plástico
















   Ao chegar a Vendas Novas já ia para lá de meio dado. Voltei a não comer a bifana e optei pela coca-cola e a queijada. Fizeram milagres, juro que sim!
Seguindo até à Afeiteira e daí sempre para sul em direcção à Landeira apanhei uma estrada que coitadinha. Ou melhor, coitadinho de mim. Apanho estradões na serra bem melhores do que aquela amostra de alcatrão. Felizmente que na ligação com a estrada que liga a Cabrela, a coisa melhorou e muito. A paisagem fabulosa e a tranquilidade divinal. Boa alternativa à movimentada N10!







De um lado era isto...















... e do outro isto!











Na Marateca estava todo dado e foi hora da banana trabalhar. A chegada a Setúbal fez-se já em sofrimento.




Se esta era uma volta que à muito queria repetir (com a pequena alteração registada), confesso que não escolhi bem a altura, mas soube-me tão bem, afinal I AM A CYCLIST (ver post anterior)

Os dados no garmin aqui:


Coloco estes dados do garmin e sei que são de pouco interesse para a maioria. Contudo assim ficam disponiveis para quem os queira sacar e utilizar. Gostava que outros fizessem o mesmo pq ja me vai faltando imaginação de inventar tracks. Ou anda por aí muito pouco gps ou muito pouca gente que os divulgue.


sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

O outro tipo de treino

No domingo passado ainda houve um btt ao qual praticamente toda a gente falhou à chamada. Como chovera de véspera o traçado estava restringido aos estradões e pouco mais. Aproveitámos a volta para "limpar" o single" do cai-de-costas que está simplesmente divinal, e para descobrir um outro single lá para os lados da pista de down hill mas falhámos por completo.
Volta curta com muita subidinha nas pernas.

Durante a semana, o spinnig, a musculação e o futsal foram substituidos por outro tipo de treino: a vardascada nas oliveiras. E que treino.
Ainda levei a Masil para umas pedaladas mas não houve tempo :-(( De qualquer forma, a fadiga acumulada talvez não permitisse grandes aventuras.. ou talvez não. Afinal "I AM A CYCLIST"
Vejam este video que me enviou o rui das corridas e que retrata na perfeição o que às vezes tento explicar a quem não partilha esta paixão:



quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Mãos frias, pés quentes.



08\12\2011
ciclismo

Tudo a postos para uma grande volta. A ideia era pedalar a manhã toda. Na véspera fizera um track novo e tudo e não cabia em mim de excitação quando me levantei.
Resolvi levar uns overshoes de btt para ver se mantinha os pézinhos mais quentes. E até resultou....durante algum tempo. O trono estava bem e as pernas ainda que usando somente calções também. O pior foram as mãos. As luvas de Inverno desapareceram e vi-me obrigado a levar as de Verão que deixam os dedos destapados.

Na parte frontal do meu capacete iam-se formando pequenas goticulas da humidade que pingavam de quando em vez. As lentes dos óculos também ganhavam uma leve cobertura humida tornando a visão mais reduzida ainda. O meu nariz competia com tudo isto vencendo o prémio "torneira mal fechada"!.A manhã estava húmida, fria e cercada num nevoeiro cerrado. Horizonte nem vê-lo. Aliás, o campo de visão estava tão reduzido que até levei a luz de presença traseira.

Covershoes da Endura que tenho são de btt mas serviram para o efeito. Não fazem milagres para quem como eu tem cubos de gelo no lugar dos pés, mas sempre ajudam qualquer coisinha.
















Quanto mais avançava mais me doiam as mãos. Tentava mentalizar-me que mais coisa menos coisa conseguiria adaptar-me e que com o avançar da hora, a temperatura amainaria. Mas como estava enganado. O vento fraco que soprava era como enterrar as mãos no gelo e ao chegar ao Poceirão já nem as sentia. Não conseguia pensar em mais nada. Era impossível continuar e não me restou outra escolha senão virar no sentido Palmela.
Estou para lá de frustrado, irritado e com o vicio mesmo à flor da pele. Isto não se faz a um gá!

Lá diz o ditado: mãos frias, pés quentes (devidamente adulterado).
Lei da compensação: jogo futsal à tarde.

distância: 42km
tempo: 2 horas mais coisa menos coisa.

Nem me apetece olhar para o gps...


domingo, 4 de dezembro de 2011

Mais uma ficha, mais uma voltinha

4\12\2011
btt - Arrábida

Dia para mais uma volta. 6 elementos à partida e felizmente 6 elementos à chegada. a GT ficou em casa passada dos carretos (literalmente) e felizmente que havia uma de reserva. Mas infelizmente nunca me consegui adaptar a uma montada que não era a minha e por incrivel que pareça o prazer da coisa torna-se muito menor. Ainda assim deu para as curvas.
No final não foram muitos km nem muito acumulado mas foi bom assim para recuperar de ontem. E na mesa um belo e magnânimo cozido à portuguesa!!

sábado, 3 de dezembro de 2011

Regresso à Serra

03\12\2011
Ciclismo - Arrábida

Tanto tanto para relatar. Vou tentar resumir para ser breve.

Chorei hoje. Chorei hoje enquanto pedalava e não foi por receio da dor por já estar a avistar a maior e mais respeitada subida da região. Chorei hoje porque voltei a sentir o que há muito não sentia e desejava muito, tanto tanto que chorei quando o senti. E senti quando chorei a necessidade de me virar para o Céu e agradecer a Deus aquele momento e tudo o que o proporcionou. A sua existência em todas as coisas!
Chorei quando me vi só na minha solidão a fazer o que mais gosto, quando um único raio de Sol incidia em mim e tudo o mais era sombra sobre a vegetação da mata do solitário, quando o ar era tão puro e tão cristalino como o orvalho que pingava de cada folha desenhada perfeitamente pelas encostas da serra que me envolvia, quando um céu azul límpido se pôs naquela manhã, quando o asfalto ia passando por debaixo de mim. Tantos meses à espera deste reencontro. Tantos, tantos.... Chorei sim, e não tenho vergonha de o dizer! E nem foi preciso chegar ao alto para "tocar" em Deus.

Talvez por tudo isto ou por uma conjugação de vários outros factores (ver abaixo) subir a serra não custou tanto como conjugara na véspera. Assim como subir para o Pq Campismo do Barreiro e depois para Azeitão. Assim como chegar ao fim do track que desenhara e continuar com vontade de continuar.... e continuei.

Dificuldades menores nas pernas mas maiores na caixa de ar, sinal que a forma ainda tem muito que melhorar, e no fundo das costas.

Muitos não compreenderão, não tenho dúvidas. Mas não precisam nem peço que o façam.

Agradecimentos (sem qualquer ordem de importância):
- gpsies que me proporcionou desenhar este track (e eu a pensar que era longo na prática ainda o alonguei mais um pouco);
- ao windows media player que elaborou a melhor playlist de sempre, quase como que escolhida a dedo;
- à bela manhã de Sol;
- ao jantar "masseiro" que papei na véspera;
- ao meu gato, companheiro numa noite de sono tranquila;
Os dados do garmim aqui.

Curioso o pico de bpm logo ao inicio. Terá sido algum susto? E curioso também o bpm registado na subida ao alto da serra. O esforço que fiz para controlar a respiração a revelar-se importante nestes números. Será?


quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

The Great Escape???

Ainda o dia 01\12\2011...






As semelhanças entre o clássico com Steve Mcqueen e estes personagens são pura coincidência...

ALONGAMENTOS

01\12\2011
Btt - Arrábida

Os benefícios dos alongamentos:

4 horas antes:
- então bom dia....
- bom dia (vozes femininas)

2 horas antes:
silêncio....

45 min antes:
- saimos ao mesmo tempo, chegamos ao mesmo tempo....
- sorrisos (sorrisos femininos)

15 minutos antes:
- olha, afinal até somos todos do mesmo bairro
- sorrisos (sorrisos femininos)

no momento dos alongamentos:
- então bom feriado (voz feminina)
- sorrisos (masculinos)


distância: 40 km
acumulado: 900m

Não vai mau para quem ressaca uma semana a purgar uma virose desgraçada....