segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Not a pussy movie

Desta vez, Produções Gaitobravo via Youtubi!
Take the blue pill and take the ride.
Para pôr o som bem alto e os tomates bem dentro das cuecas, caraiiiiiiiii.



sábado, 28 de janeiro de 2012

Foil 40 - teste II ou Serri-meia

  28\01\2012
  ciclismo

   Levantar cedinho pela fresquinha para fazer uma boa volta e acabar cedo pq à tarde havia futsal. Logo deu para perceber que a semana pesava no corpo e muito contribuia a aula de pump caseiro e de cycling que me rebentou as pernas.
   O carro pregou-me uma partida e la se foi o começar cedo. Mas nada de grave.
    Direcção praias da Arrábida. Era hora de testar a Foil a subir à séria. Infelizmente esqueci-me de ligar o Garmin num semáforo, outra vez, fdssssssss.
   NUNCA MAIS VOU ESQUECER DE LIGAR O GARMIN, NUNCA MAIS VOU ESQUECER DE LIGAR O GARMIN, NUNCA MAIS VOU ESQUECER DE LIGAR O GARMIN, NUNCA MAIS VOU ESQUECER DE LIGAR O GARMIN, NUNCA MAIS VOU ESQUECER DE LIGAR O GARMIN, NUNCA MAIS VOU ESQUECER DE LIGAR O GARMIN, NUNCA MAIS VOU ESQUECER DE LIGAR O GARMIN, NUNCA MAIS VOU ESQUECER DE LIGAR O GARMIN,
   Assim, nao pude comparar dados directamente com outra volta anterior identica mas fica o relato:
    Grande estabilidade a subir; fácil de manter no rumo; parece que nem tenho bicicleta por debaixo; mesmo a subir forte pede sempre mas pedalada (esta gaja ou vai matar-me ou vai fazer de mim um bitcho); excelente comportamento na pedalada forte; absorção impecável; a descer no duro mesmo com vento não perde o rumo  sendo fácil de manter estável; desta vez em seco pneus com comportamento sem nada a apontar, deslizam bem e com grip suficiente. Nada mais a dizer senão impecável. Travões continuam a querer reparo!

     Sai de Setúbal para a serra, subi o Portinho (as praias estavam lindas) e virei para o Convento. Subir a pedalar sentado passou a ser uma realidade o que é mt bom. A descer com vento frontal não pude dar o máximo. Depois da Rasca virei para o Pq Campismo e subi até Azeitão onde apanhei de novo rumo para a serra subindo até ao cruzamento onde virei para descer à séria por onde tinha subido (já com dores). Na Figueirinha uma banana foi o ultimo alimento que passou pela goela. No parque de merendas da Comenda tive direito a um cola na roda de trás. Depois revesámo-nos na frente até Setúbal sempre numa pedalada forte. Foi uma boa "boleia" que demos um ao outro.
    Chegado a casa com uma terrivel dor no meio das costas (algo a rever ou maselas do dia anterior).
    Subida completa da serra mais metade pelo lado de Azeitão deu qq coisa como:
    distância: 70km ???
     acumulado: 1.400 ???
    A volta com o pedaço grande que lhe falta aqui.
     Brevemente farei a volta outra vez para medir tudo correctamente (só mm por causa disso).
   
    O futsal à tarde arrumou o resto, ainda que sem grande esforço.
    Amanhã há btt.

 

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Remake das estrelas

  21\01\2012
   Btt - Porto de Mós

   Romaria para norte em busca de tracks espectaculares. Levámos dois no bucho para escolher no local.
   Foi sair da cama pela madrugada que havia muito km pela frente e muita vontade de desbravar terreno novo.
   O track escolhido deu muitas alegrias e alguns dissabores que obrigaram a paragens longas. Um pneu rebentado, uns óculos esquecidos, uma queda aqui e ali sem gravidade, algumas dúvidas existênciais sobre qual caminho tomar e onde estava o caminho, um ramo enrolado no rolamento interior de um carreto, etc.
   No final foi uma manhã repleta de btt no estado puro da coisa: grandes subidas, grandes single-tracks, grandes descidas, belíssima paisagem, longe da população, muita adrenalina e um puro acto de realização pessoal. Não morremos desta, mas desafiámos os limites. Muito bom!

   Fica aqui a estupidez do costume num filmeco rasco:

video
   

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Gaitos-Bravos para o Mundo

 Videos que inexplicávelmente nunca chegaram a este blog mas que estão disponiveis para o mundo via iótubi.
 Videos à séria, com riders à séria, triciclos à séria, música meme à séria e descidas meeeme à séria.

    

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Foil 40 - a estreia

 Sábado 14\01\2012
  Btt - Arrábida

   Volta antecipada para sábado já que para domingo antevia-se chuva. Mais uma vez muita gente a faltar à chamada. Entre aleijados, impossibilitados, sem-vontados e outros, comparecemos 4 riders.
   Novidades muitas: o turtle regressou... e não caiu! destroya a testar uma nova suspensão, o russo levou a Santa Cruz do helducho (um abandono prematuro) para ver se fazem negócio, levou também um amigo joão com uma Cube a estrear, eu venci o trauma, ninguém levou velocimetro ou qualquer outro computador de bordo.
   Uma volta durinha com os momentos de córtição do costume e uma grande sova no joão.
   Distância e altimetria são uma incógnita


    Domingo, 15\01\2012

   Tudo começa pouco depois do despertador tocar, parte que vou ocultar por motivos pessoais. Se dúvidas houvessem, after all im a cyclist. Um dia mais tarde conto...
    Depois, olhando pela janela não vislumbrava chuva apesar do céu mostrar vontade. Vontade enorme era o que eu tinha para sair e estrear a Foil 40 que olhava para mim ali parada no corredor.
     As primeiras sensações foram assustadoras. Depois de alguns ajustes e das primeiras pedaladas, lá ganhei alguma confiança e fiz-me à estrada.
    A coisa corria bem e quando comecei a aquecer lá para os lados da Bacalhoa, cai uma carga tão grande que não via um palmo à frente dos olhos. Meia volta para trás via Qta do Anjo. Já perto de Setúbal, a vontade de pedalar era mais do que à saida de casa e nem o corpo ensopado parecia incomodar. Ao passar por 2 ou 3 grupos de ciclistas fiz uma pequena sondagem: continuar ou seguir para casa. Todos foram peremptórios.
   Minutos depois sentia os ossos a estalar com a água quente.
   Momento do dia: ir de propósito buscar as sapatas de encaixe do mano pq as minhas estavam ligeiramente humidas. Devolvi-os a pingar ensopados até ao nó!

    A Foil concretamente falando:
    É qualquer coisa de assombroso. A posição é incrivel. Ao mesmo tempo que nos mantém virados para o horizonte confortavelmente, deixa-nos manter uma posição aerodinamica e agressiva. Gosto! A diferença de peso para a Masil é de pouco menos de 1,5 kilos salvo erro, mas parecem alguns 3. Extraordinária a furar o vento (e estavam as condições que estavam) sem nunca perder estabilidade. A rolar é um mimo. As vibrações são praticamente nulas sendo absorvidas e distribuidas por todo o quadro. A rigidez do quadro é a que se quer. Falta fazer um sério teste a descer e outro a subir forte! Desliza como uma seta e faz-me lembrar o G40 que tinha. Quer sempre dar mais. Não sabe parar ou seguir devagar. Parece ter vida própria e desliza como uma pena veloz. Impressionante esta característica.
    O grupo Ultegra que substitui o 105 de origem funciona tal e qual um relógio suíço. Preciso, funcional, rápido a responder nas solicitações mais bruscas. Falta o teste a subir para ver como corresponde. Mas para já não fez esquecer o velhinho Campagnolo. Só na parte em que não é necessária aquela infima concentração na mudança dos pratos frontais.
    Os aros e os cubos, apesar de serem de uma categoria inferior (chega quase a ser vergonhoso serem apresentados neste quadro) fazem o seu papel e não se pode exigir mais. O restante material compensa.Um dia mais tarde é para mudar por algo superior. Ou então não.
    O elo mais fraco desta bicicleta são sem dúvida os pneus. Vou dar o desconto de serem novos e também das condições do piso normais de um dia de chuva, mas à partida nao me ofereceram a aderência a que estou habituado. Já vêm outros a caminho só pelo sim pelo não guardando estes para o tempo seco e quente. Têm cara de serem bons roladores.
    Os travões 105 também me deixaram algo apreensivo: o da frente está excelente mas o traseiro necessita de um ajuste. Também nele vou atribuir o desconto das condições climatéricas mas espero mais, muito mais e melhor.
   Conclusão: estou maravilhado! É uma bicicleta fantástica a proporcionar sensações deliciosas. Dimensiona   o prazer de pedalar elevando-o para um patamar bem mais elevado. Sinto-me um ciclista de verdade. Não sendo uma bicicleta de elite, com os reparos referidos corrigidos, não ficará muito atrás. Recomendo para quem tem no ciclismo uma paixão equilibrada em todas as suas vertentes, ou seja, é perfeita para quem gosta de alguma agressividade com ligeireza de conforto.
    A volta de estreia aqui
    Volta de estreia molhada, volta de estreia abençoada e bixicreta baptizada. Assim espero.
 
    Prometo fotos para breve!
 

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Já vem a caminho

 e deve chega ainda esta semana......

domingo, 8 de janeiro de 2012

PEP

08\01\2012
Btt - Arrábida

   Manhã PEP: Pa Esticar as Pernas.
   Muita gente a faltar à chamada, ficámos reduzidos a 3.
   O VDO.1 deixou de funcionar a semana passada logo não há dados para ninguem. Tenho q ver se alguém sabe arranjar estas coisas.
   Segundo o conta-km do Lou fizémos algo entre os 35 e os 40.
   Fica uma bela manhã primaveril no bucho!

sábado, 7 de janeiro de 2012

You lose!

  07\01\2012
   ciclismo
 
    Reedição de uma volta antiga: boomerang. Nada mais nada menos que ir e vir ao Cabo Espichel pelo mesmo caminho.
    O joelho não está para coisas e não quis grandes altimetrias. Ainda assim foram 800 m de desnivel.
    Uma aula de pump e outra de cycling seguidas deixaram moças. À ida tudo seguiu bem, demais até. Com uma playlist que uso para o cycling a bombar nos ouvidos deixei-me entusiasmar e cheguei ao alto das necessidades bem "aquecido".
    Depois foi seguir com naturalidade a disfrutar a bela manhã. Pensava eu que seguia a bom ritmo e quando me lembrei de consultar o zé virtual (virtual partner do garmim) percebi que estava a levar uma grande tareia de  mim próprio.
     Ao chegar a Sesimbra já estava para trás mais de 3 km (???). Pergunto-me o que andaria eu a tomar naquela altura (data em que fiz a volta boomerang 23\10\2010). que diferença de andamento.
    O que é certo é que até ao Cabo Espichel reduzi a coisa para 800m mas no regresso não consegui acompanhar e ainda pedalava eu perto do antigo Leo Taurus quando o garmin toca um hino ao vencedor com direito a mensagem no visor e tudo.O Zé Virtual acabara de cortar a meta com uns 2,5 km de vantagem mais coisa menos coisa.
   
     A volta completa aqui

      Isto não fica assim.

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Nature will prevail

  Ano novo, rubrica nova!
  Começo a perder a conta a tanta rubrica, é um facto, mas julgo valer a pena. Esta mostra a força da Natureza no seu pleno, demonstrativa que o seu poder é em muito superior ao betão do Homem



   O mais surpreendente é que não existe qualquer ligação entre este espécime e o chão.

Nature will prevail!