domingo, 29 de novembro de 2009

O baptizado

Arrábida,
28\11\2009

Btt antecipado para sábado face às previsões metereológicas para domingo.
Juntei-me ao grupo do amigo Pichas com quem já tinha convivido no Cabo Espichel, para acompanhar a estreia do seu novo canhão o qual tive inclusive oportunidade de experimentar:
Specialized Stumpjumper FSR Pro.
Trata-se de uma biciclteta leve (típico da marca), bem equipada (poupo os detalhes) e que se comporta muito bem no piso irregular mantendo equilibrio, suavidade e manobralidades desejadas. O famoso sitema "brain" funciona e faz-se sentir. É sem dúvida uma boa "malha" para XC, podendo-se arriscar um pouco mais!


Foi bom pedalar com um grupo maior para variar. A boa-disposição foi uma constante e sempre se partilham ideias, conceitos, experiências.
Aqui deixo mais uma "fantochada" demonstrativa disso mesmo:



video

Numeros finais: 40 km em 03:20h com um acumulado de 830 m

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Entre-Provas

Sexta-feira,
27\11\2009


Depois da Meia-Maratona do Cabo Espichel, onde me senti sempre bem e com força e a qual terminei com a vontade de partir novamente, não pude retardar mais este ímpeto e inscrevi-me em mais uma Maratona: IV Maratona de Abiul.

Não deixo de ficar surpreso com a quantidade de provas que esgotam inscrições. É um fenómeno deveras impressionante e que não pára de crescer (ainda assim verifica-se maior nº de eventos em determinadas zonas do país do que em outras, mas acredito que com o tempo a "coisa" alastrar-se-á", isto porque gostaria de diversificar ao máximo as minhas deslocalizações).


Seja como fôr, Abiul promete dureza e alguns singletracks.


Entretanto, a parede da garagem vai-se compondo.
.
À esquerda acumulam-se dorsais e mais à direita o mapa de Portugal onde estão assinaladas as localidades dos respectivos eventos.
.
A semana foi assim:
segunda-feira: futsal (sprints)
terça e quarta feira: natação: 40 min bruços; 50 min crawl alternado com bruços (vejo com
agrado a evolução no crawl e na capacidade toráxica
quinta-feira: futsal (recuperação)
.
Hoje a ideia era fazer bicicleta mas o corpo pede descanso. Tavez faça natação à noite. O btt de domingo é forçosamente alterado para sábado devido às condições metereológicas.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Fait divers

Quando se combinam diferentes gostos dão-se resultados curiosos.
Gostas de bicicleta? gostas de música? Junta ambos e tens o Bicycle Music Fest



assim de repente lembro-me de um amigo que....

sábado, 21 de novembro de 2009

I Maratona Cabo Espichel

21\11\2009
Azóia (Cabo Espichel)










Altimetria










Organização: http://oriazoia.no.sapo.pt/
Inscrição: 15 euros
Km anunciados: 20; 40; 80 km
Localização: Azoia, Cabo Espichel - Sesimbra


A "fomeca" que eu já tinha disto e nem sabia, era ainda maior do que imaginava. Foi tempo a mais sem participar em nenhuma. E "fomeca" essa que não foi totalmente saciada por dois motivos: talvez exactamente por não fazer qualquer prova há muito tempo e porque esta soube a pouco, mas já lá iremos.


Nunca tinha ido a uma prova com um grupo tão grande (aliás, normalmente vou mesmo só): eu, bully, bruno, tiago, carlos e paulo (faltou o rui que foi para o Jamor para mais um treino de atletismo). O nome desta equipa: Msports Club Team (ginásio do faltista). Dela fizeram pertença outros elementos mas que seguiram separadamente.


Só os preparos de véspera, as combinações, a chegada ao local vendo logo ali o arraial "circense" do costume (o insuflável da meta, os carros dos participantes com as respectivas bicicletas no topo que enchiam o campo de futebol 11 do clube de futebol local, etc) deixavam-me uma tremenda vontade de pedalar e disfrutar desta manhã nebulosa.


Mas nem tudo foram rosas. Apesar partirmos com alguns minutos de atraso (a prova começou a horas o que é sempre de louvar), fruto da arte e engenho de quem à ultima da hora trocou de camara de ar duas vezes, o inicio foi bastante agradável. Um percurso mais ou menos nivelado com uma paisagem extraordinária do Cabo Espichel e da falésia envolvente com o mar a adornar o cenário. O céu dava mostras de não querer chover.


Depois o restante percurso fez-se à base de estradões por entre pinhais e campos de vegetação rasteira, sem grandes subidas ou descidas rigorosas. Ou seja, tanto tecnicamente como fisicamente posso considerar uma prova fácil. De salientar a presença de alguma areia mas nada de excessivo pelo que se tolerou sem problemas. A distância e a altimetria conferiram com o anunciado: 40 km e 720 m respectivamente. Apesar de só ter dormido duas horas e meia na véspera, senti-me sempre bem fisicamente e teria feito de bom grado mais uns km´s.


E assim se seguiu até ao final sempre rolando a bom ritmo. Mau, muito mau foi a sinalização, ou neste caso a falta dela. Muitos (talvez a maioria pelo que me apercebi) foram os que se perderam, enganaram ou simplesmente seguiram na direcção da prova errada (os de 20 para os 40 km e vice-versa). Nota negativa também para os balneários (eram 2 para os homens): pequenos, sem luz e a água quente acabou para os últimos. Péssima a organização do almoço. Com a maioria dos atletas já prontos houve lugar a espera pois o "farnel" ainda não estava pronto. Resultado: quando foi servido acumulou-se demasiada gente e a espera foi maior. Não haver mesas nem sequer cadeiras para o repasto também foi muito mau. É que depois de pedalar, comer de pé.... A comida em si: febras demasiadamente grelhadas e já frias, uma só bebida, arroz, massa e salada soube a pouco (dos dois pontos de abastecimento, nada a assinalar. Desde que tenham fruta, água e bolos secos para mim está bem. Ainda vi barras e sumos, acho). Salvou-se a sopa, um caldo verde quente e saboroso.


Conclusão geral: uma organização que ficou muito aquém daquilo que o circuito escolhido e zona envolvente mereciam e nem os diversos brindes oferecidos apagam a má imagem e justificam o preço da inscrição. Muita coisa a rever. Na minha opinião teria ainda deixado a primeira parte (aquela em que se rola em direcção ao Cabo) para o fim. Rolar-se-ia muito melhor por não haver tanto aglomerado de riders e deixava a fabulosa paisagem na retina da memória de cada um.


o melhor: só mesmo a partida a horas e os dados fornecidos rigorosos (distância, altimetria, localização dos pontos de abastecimento)


o pior: muita coisa e importante. A saber: as marcações (essencial!!!!), os banhos, o almoço (pobre e em pé), as passagens por alcatrão que implicam perigo com o trânsito local estavam entregues a jovens escuteiros (demasiado jovens e normalmente sós) sem competência para o efeito e que se limitavam a indicar o caminho... Não vi qualquer participação da policia, bombeiros ou ambulâncias (vi uma no final da prova, não reparei no inicio nem durante)


frase que a marca: "epá perdi-me", "epá eu também", "epá acho que toda a gente se perdeu" e "para o ano não venho"



Apenas uma ressalva em abono de defesa da Organização: ouvi muita gente a queixar-se da dificuldade da prova. Na minha opinião e pela minha experiência, esta foi das mais fáceis tanto fisica como tecnicamente. Penso que muitos bttistas vêm à aventura expondo-se a uma situação de risco demasiada para as suas capacidades. Para eles uma palavra: optem por passeios e não maratonas ou meias-maratonas, isto a bem da vossa própria integridade física e por vezes dos outros também.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

btt vs ciclismo

O termo comparativo (pessoal) que faltava entre as duas modalidades sobre rodas que pratico. Gosto de ambas e daquilo que usufruo e retiro de cada uma. Unidas pelo acto de "dar ao pedal" conseguem ter diferenças enormes.

A saber.



Btt a favor:
1 - o contacto com a natureza: ar puro; paisagem; fauna e flora; tranquilidade e sossego;
2 - os single tracks;
3 - as descidas desenfreadas;
4 - descargas de adrenalina;
5 - convivio com outro riders;
6 - descontracção e bem-estar;
7 - a participação em provas;

Btt contra:
1- a lama no tempo dela que dificulta o rolar e impossibilita a passagem pelos principais pontos de interesse
2 menos cativante a solo;
3 - maiores gastos para adquirir bom material e para substituição deste (desgaste e desafinações)




Ciclismo a favor:
1 - o prazer de rolar suave;
2 - o esforço físico mais metódico e sistemático;
3 - possibilidade de percorrer grandes distâncias;
4 - o mp3 a debitar música nos meus ouvidos;
5 - concentração "desconcentrada" (Soa a complicado? mas não é. Resumidamente em cima da bicicleta de estrada, penso em tudo e não penso em nada o que relaxa a mente)



ciclismo contra:
1 - o perigo de circular nas estradas face ao desrespeito dos automobilistas (os cães tb são perigosos)
2 - o vento, esse enorme obstáculo (mas que ajuda para se efectuar um treino mais exigente)
3 - quebra fisica pode ocorrer longe de "casa" o que causa um enorme sofrimento no regresso, logo torna-se impreterivel conhecer as limitações fisicas pessoais do dia.
4 - paisagens mais urbanas e o tráfego em geral.


e outros aspectos mais..

Amanhã entretanto há prova de BTT:
I maratona do Cabo Espichel.
Estou inscrito pela equipa do Ginásio MSports (http://www.msports-club.com/home.php), que apresentará um bom rol de riders.
Avizinha-se uma grande carga de água para amanhã. Espero que aguente até pelo menos terminar a prova...

sábado, 14 de novembro de 2009

Ainda o Domingo passado...

08\11\2009
Arrábida


Tenho feito aqui uma pequena amostra em formato video de alguns momentos mais electrizantes do btt do gang. Algumas descidas, muita velocidade, etc, etc. Hoje faço uma justa homenagem ao sofrimento pelo qual se tem de passar para chegar até esses momentos, até essas descidas.

Eis uma manta de retalhos colada com muito suor para dar uma ideia geral do que também se sobe.

video

distância: 40 km tempo: 03:20 horas altimetria: 1.040 m

Domingo, 15\11\2009 Arrábida

Apenas eu e o faroleiro numa volta sempre com um céu negro e carregado de chuva que felizmente nunca chegou a cair, e muita lama já por todo o lado que nos obrigou a ser muito selectivos no percurso e por isso menor distância percorrida: 35 km.

Ficou combinado que nestes dias sairemos mentalizados para fazer únicamente estradões.

Entretanto uma dor no joelho (fruto de uma queda no domingo anterior) apareceu mas rápidamente desapareceu.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Classificados

10\11\2009

Porque quase tudo se compra e quase tudo se vende, e a troca de materiais neste ramo das bicicletas parece o mundo do futebol onde há sempre um corrupio de transferências de jogadores (chegam e partem aos contentores todas as épocas em vários clubes), fica aqui a referência ao que está no mercado de segunda mão dos arredores:

- vendo ciclocomputador com altímetro VDO MC 1.0+ ..................... ........... 70 eur
(novo custa 95 eur aprox)




- vendo Helmet Cam Oregon Scientific Actioncam ATC-3K ......................... 60 eur
(nova custa 80 a 90 eur aprox)




- o tiago vende a sua MONDRAKER FACTOR R (vêr mais em http://www.miau.pt/leiloes/leilao.jsp?offer_id=7627402

Os interessados podem deixar as suas dúvidas e questões. Obrigado.
amanhã a ver se faço o relato da volta de domingo. Depois de um fatigante fim-de-semana pedalístico, ontem fiz 30 min de futsal que foi óptimo para recuperar. As pernas estão como novas o que é incrivel!
Dentro de uma hora vou pôr-me de molho (natação)

sábado, 7 de novembro de 2009

desculpas, desculpas

07\11\2009

Tinha projectado um treino longo de 4 horas.
Na véspera até me deitei cedo, no entanto...
- mal dormido;
- cansaço laboral;
- vento moderado mas suficiente para fazer estragos (15\16 nós)
- nariz a fungar;
- falta de "feeling";
- pernas sem força;

Foram 60 km de estrada em 02:20 horas sempre, mas sempre a sofrer.
Curiosamente não sei se foi da barra que comi se da direcção do vento, mas nos 30 km de regresso nunca saí do carreto da frente maior (à ida foi uma constante de desmultiplicações mais leves).
Ele há dias...

Anteriormente:
2ª feira: 1 hora futsal
3ª feira: 45 min natação
5ª feira: 01:30 horas futsal (já acusando algum cansaço)

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Atentado à bomba!

04/11/2009


Deveria tar chegado conjuntamente na encomenda que o "faroleiro" fez mas por lapso, o Chainreaction (site para compra de tudo o que se relacione com bicicletas) não a enviou.
Contudo, após um simples e-mail, rectificaram o erro num exemplo de eficiente prontidão. Estamos a falar em material que vem de fora. As empresas portuguesas deveriam pôr os olhos nisto!

Assim, as velhinhas bombas de mão, aquelas coisas ridiculas que bombeiam meio centimetro de ar, servirão agora exclusivamente para forrarem o interior do Camelback.
O enchimento de pneus fica a cargo desta maravilha que além de ser extremamente eficaz com muito menos esforço, permite-me saber a pressão que estou a usar em cada bicicleta (parecendo que não, é um elemento que pode fazer muita diferença)

SKS Airworx Track Pump:
- dupla utilização (válvula presta e schreader)
- pressões até 10 bar (144 psi)
- 25 euros!

Um passo mais à frente no bombear.




Sempre a bombar, todos los dias bombeando, toujour bombée, always bombating!

domingo, 1 de novembro de 2009

Soma e segue

01\11\2009
Arrábida

De regresso também ao btt. Depois de ter forçosamente faltado à prova de Vermoil, a saudade pelo btt era enorme e nem os programas de sábado à noite iriam arruinar esta manhã.
Estava curioso para saber como reagiriam as pernas depois do esforço de ontem: algo cansadas mas nada de grave.
O céu era ameaçador e assim se manteve toda a manhã. Novembro 1 - Chuva 0!
Os pedaleiros de hoje, "faroleiro", "jorgemback" (a estrear um guiador e avanço novos prenda do mano e pneu traseiro novo prenda do faroleiro) e rui corredor que levou a minha Mérida a estrear o kit tubless.
Uma volta muito boa a atingirem-se niveis de adrenalina elevados. Boas descidas, boas subidas.

distância: 41 km
tempo: 02:45 horas
altimetria: 850 m