domingo, 27 de dezembro de 2009

Uma breve pausa para comerciais

27\12\2009

..e já voltamos.

passaram-se completamente ou pura pândega??




feed the warrior - muito bom!!

sábado, 26 de dezembro de 2009

Volta do Solitário

26\12\2009
Arrábida

E o dia amanheceu solarengo. O aniversariante faltou à chamada. Diz que quer estar fresquinho para a jantarada.

Tinha pensado assim sair na Masil, mas a saudade do mato apertou forte. Havia só que evitar a lama.
E assim fiz, optando sempre por estradões que estiveram praticamente por minha conta. Apenas aqui e ali vi um ou outro par de rodas.
O percurso?

Estrada da Cobra até Palmela ao que se seguiram os moinhos... mas por baixo.
Uma passagem diferente.
.
Os moinhos sobre nova perspectiva.
.
Vista assim até parece outra zona.
.
Depois, mais adiante, em tempos de chuva, a atalhada do costume.
.
.
.
Depois de subir o cai-de-costas e desbravar o carrocel sobe-e-desce, segui em direcção a Azeitão em busca de um trilho que recentemente ouvi falar: o trilho da falésia.
.
Já nas "traseiras" da vila, andei meio perdido...
.
mas adorei fazer estas ruas.
.
Trilho nem ve-lo e falésia idem mas deixei-me levar à descoberta. Entretanto era tempo de...
.
Não, não estou a defecar (para evitar já comentários tipicos), estou a contemplar esta vista magnanime enquanto comia uma barra de aporte imediato de energia (frase espectáculo).
.
Mais adiante, completamente embrenhado no mato, algures perto de... não faço a minima ideia.
.
Uma zona bonita. Isto não é uma falésia pois não?
.
Decidi tirar esta fotografia para identificar a zona onde acabei por iniciar o retorno, depois de desistir de encontrar o trilho da falésia (eu até ando a namorar os gps)
.
Os números:
45 km
03:00 horas
720 altimetria.
Ainda nesta volta:
- estreia da nova máquina fotográfica (exemplos supra)
- experiencia liquida: dentro do Camelback levei duas bolsas, uma com àgua, outra com Isostar. Duas tetinas para "mamar" a manhã toda. Funcionou bem e a única desvantagem é mesmo o peso às costas.

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Music Video

24/12/2009
Em casa do pápi e mummi

...a passar o natalinho mas cheio de vontade de pedalar (sempre com vontade de pedalar).

Provavelmente já alguém terá publicado este video, mas aqui fica não pelo registo musical (garantidamente não é dos melhores) mas sim pelo conteudo.


quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Pró Natal de presente eu quero que seja...

23\12\2009

Não podia deixar de ser, não é? um "postesito" a falar do "natalito". Confesso que resisti até não poder mais.
O que é certo é que o tempo continua uma $#&"52#$"% e por isso não dá para seguir pedalando e sem pedal até a imaginação para escrever se foi.


Eis o pecado que me levou à tentação: adorava (e confesso) e adoro Lego. Como não tenho filhos, não tenho desculpa para poder "brincar" (leia-se coleccionar) esta maravilha de todos os tempos. Mas qualquer dia ainda perco a vergonha... Que linda prendinha!


Alguns destaques: Team Telecom Racer (canto superior esquerdo); father christmas on a bike (fila de cima ao meio); Team Telecom Lego Set (acima do canto inferior esquerdo). Genial!
Festas felizes!

sábado, 19 de dezembro de 2009

Ice Age

19/12/2009
Setúbal-Aires-Lau-Poceirão-Pontes-Algeruz-Setúbal



Afinal não chovia quando acordei às 08:00h da manhã. O sol também não abundava, execptuando um raio de sol que batia aqui e ali. Para mim chega!
Fiz-me à estrada decidido a fazer um treino longo e agradável em direcção a ... (não vou revelar porque fica na algibeira para o fazer na próxima saida).

Nos primeiros minutos percebi que isto não ia ser fácil. Apesar de bem apetrechado, o vento gélido da manhã ameaçava fazer estragos. Pensei que depois de 30 min aqueceria (tanto eu como a própria manhã) mas assim não foi e ao chegar ao Poceirão decidi regressar.


Os pés ja nem os sentia (e tinha 3 pares de meias calçados), o nariz tinha uma estalactite na ponta, as maçãs do rosto ardiam e a cabeça doía. Só quando o vento amainava (o que aconteceu duas vezes por somente três segundos) sentia algum alivio.


Mas o pior de tudo foi quando me apercebi que não conseguia ingerir liquidos. Nem sequer bochechando-os (o que me deu uma horrivel dor de dentes) resolvi essa questão. A solução seria parar em todas as tascas, cafés e tabernas para beber um chá quente.


Um gajo não consegue beber nada nestes dias...



Com a hidratação comprometida o regresso era inevitável o que me deixou bastante desmoralizado porque estava a delirar. Afinal, esperei a semana toda por isto...


Nem cheguei a estrear a nova máquina fotográfica (finalmente vão haver aqui fotografias de jeito, ou pelo menos com qualidade de imagem).


Entretanto está para chegar uma encomendazinha com coisas boas para maior conforto nestes dias. À pois é.



Amanhã não deve haver btt porque hoje há jantarada de natal.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Assim não dá!

18\12\2009

É demasiado...
Uma semana inteira agarrado ao joelho (ainda o joelho, sempre o joelho) sem fazer puto e agora chove no sábado de manhã???
Estou intragável.

Entretanto ja tinha visto este video do "lado de fora". Este mostra o mesmo mas "por dentro". Dá para ter um infimo cheirinho das sensações que estes artistas vivem:

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Pernas para que te quero

E foi assim:
Acordei no domingo bem de manhã mas as pernas não. Doiam! Não tive outro remédio senão ficar em casa.
E agora? uma semana inteira sem fazer nada?? o joelho não permite natação ou futsal... Resta-me bicicleta.. mas de noite??

sábado, 12 de dezembro de 2009

Cães "parados"

12\12\2009
Arrábida

Eu e o "farol"antecipámos o btt domingueiro e juntámo-nos neste sábado semi-solarengo ao Pichas e Paulo.
Uma volta a bom ritmo e sem muita lama (pelo menos sem a que esperávamos encontrar).
Cães parados paraceu-me um bom nome e passo a explicar porquê: num "post" anterior que publiquei e que podem vêr aqui, mostrei um cão que corria louco com os riders. Hoje, aqui e ali (contei pelo menos 4) ia aparecendo um canideo mas que felizmente deixaram-se estar sossegados (lembro-me sempre da morte trágica de Joaquim Agostinho).
Apesar do estado "pesado" do terreno, rolámos a bom ritmo e pudemos dropar alguns dos trilhos preferidos tal como Fio Dental, Antenas Rego, Tanque, Alto do Alcube, entre outros.

distância percorrida: 47 km
acumulado: 860m
tempo: 03:20 h

As minhas pernas estão num estado lastimável. Tinha planeado farzer-me à estrada amanhã mas assim não sei... Logo se vê ao acordar.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Volta (muito pouco) turística

08\12\2009
Arrábida e arredores



De véspera a dúvida: btt ou estrada?
Face às chuvadas dos últimos tempos, optei pela estrada. Masil ia apanhar ar.
A ideia inicial era dar a volta à serra para testar a necessidade de colocar uma "avozinha" nesta bicicleta.
Arranquei às 09:15h decidido em direcção às praias da Arrábida. Albarquel, Figueirinha, Portinho, entre outras foram ficando para trás sem grandes dificuldades. Aqui deu-se o grande "busilis" da questão. A subida da Mata do Solitário foi qualquer coisa de sofregante toda ela feita sem tocar no selim e na máxima força das minhas pernas. Julguei não conseguir.

Depois, no cruzamento decidi seguir para Azeitão e pelo caminho recebi a compensação do esforço.

Ao fundo, famosa "onda".



Esta imagem só mesmo ao vivo...




Depois de Azeitão, Sesimbra. A caminho vi algo que nunca tinha reparado: O Rotary Club de Sesimbra em conjugação com entidades locais recuperaram a zona envolvente de uma árvore merecedora disso mesmo.

Vale a pena parar e observá-la.




Viro costas a Sesimbra e no regresso, ao chegar a Azeitão sentindo ainda forças e principalmente vontade, decido regressar à Arrábida. Afinal tinha saido de casa com intenção de dar a volta à Serra e ia fazê-lo. Queria trepar até ao topo.

Até ao Convento da Arrábida foi um instante, apesar de ser sempre a subir. Depois começaram novamente as dificuldades e o cú só voltou a tocar no selim no alto dos Parapentes.

No local estava a comunidade da modalidade que já vai sendo bastante expressiva. Estavam lá muitos. Veio-me ao pensamento a quantidade de "albergues" que este pequeno pedaço de terra nos dá:

- na estrada cruzei-me sempre com muitos ciclistas;

- na Comenda, ainda não haviam merendistas quando lá passei (afinal era cedo) mas desde que não chova, há sempre fumaça a sair dos grelhadores;

- na Secil e Figueirinha, pescadores de "muralha" e também vi alguns mergulhadores scubadiving;

- no alto do Convento da Arrábida, os praticantes de PáraPente;

- das bermas (principalmente na zona das pedreiras de Sesimbra e da estrada da Rasca e Lisboa)) saiam muitos outros bttistas;


Em suma, um rol de actividades (ente outras) que se fazem por toda a adorada serra. Pena é ser tão maltratada.

Entretanto chegava a hora de um momento de adrenalina (afinal também os há no ciclismo): descer a 60 km\h até à Secil. A Masil parecia que se ia desfazer nas minhas mãos e o alcatrão passava debaixo de mim tão rápidamente como nunca.

Ainda com força decido-me pelo caminho mais longo para casa virando para a Nacional 10, onde dei o sprint final para gastar o resto das minhas forças que pareciam inesgotáveis (bem dormido, bem descansado dos dias anteriores, uma boa alimentação e uma boa hidratação também terão responsabilidade nisso). O joelho doeu aqui e ali mas nunca de forma aguda ou grave!!

Contas finais: 75 km em 03:20 h. Desconheço a altimetria mas fico muito curioso sobre a mesma (terei de ir medi-la)


p.s. - e mesmo assim não "matei o bicho". Já só penso em sair outra vez!

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

2 em 2

07\12\2009

E é a segunda vez que falho a ida a uma prova, estando já inscrito (com pagamento efectuado e tudo) e logo seguidas uma à outra.
Desta vez tenho que confessar que tive "receio" (veja-se o critério de escolha desta palavra em detrimento de "medo", por exemplo) das condições climatéricas. Estas estavam anunciadas de véspera com alerta amarelo para o distrito onde iria decorrer a prova.
E parece que não fui o único pois ficou muito mais gente por participar.
Entetanto, pelo que já li parece que correu "quase" tudo bem.

Juntando ao facto de não ter equipamento adequado para este tipo de condições e de ter um joelho em banda (continua o tratamento caseiro), julgo ter sido a melhor opção.

Amanhã, em principio, vou fazer-me à estrada.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Isto está bonito

04\12\2009

O joelho aguentou a natação de 4ª mas "desgraçou-se" no futsal de ontem. Hoje páro e amanhã também porque domingo é a maratona de Abiul que promete 60 km bem rijos e que poderão ser mais ainda com a chuva que se antevê.
Isto está bonito, está!

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Irado

02\12\2009

É a melhor maneira de descrever o estado de espírito de ontem. Feriado sem chuva e com pouco vento ideal para me fazer à estrada (ou btt). Acordei às 7 da manhã mas uma terrivel dor no joelho esquerdo impediu-me de pensar sequer em andar (mais uma vez gelo, pomada e anti-inflamatorio).
Isto não se faz.

domingo, 29 de novembro de 2009

O baptizado

Arrábida,
28\11\2009

Btt antecipado para sábado face às previsões metereológicas para domingo.
Juntei-me ao grupo do amigo Pichas com quem já tinha convivido no Cabo Espichel, para acompanhar a estreia do seu novo canhão o qual tive inclusive oportunidade de experimentar:
Specialized Stumpjumper FSR Pro.
Trata-se de uma biciclteta leve (típico da marca), bem equipada (poupo os detalhes) e que se comporta muito bem no piso irregular mantendo equilibrio, suavidade e manobralidades desejadas. O famoso sitema "brain" funciona e faz-se sentir. É sem dúvida uma boa "malha" para XC, podendo-se arriscar um pouco mais!


Foi bom pedalar com um grupo maior para variar. A boa-disposição foi uma constante e sempre se partilham ideias, conceitos, experiências.
Aqui deixo mais uma "fantochada" demonstrativa disso mesmo:



video

Numeros finais: 40 km em 03:20h com um acumulado de 830 m

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Entre-Provas

Sexta-feira,
27\11\2009


Depois da Meia-Maratona do Cabo Espichel, onde me senti sempre bem e com força e a qual terminei com a vontade de partir novamente, não pude retardar mais este ímpeto e inscrevi-me em mais uma Maratona: IV Maratona de Abiul.

Não deixo de ficar surpreso com a quantidade de provas que esgotam inscrições. É um fenómeno deveras impressionante e que não pára de crescer (ainda assim verifica-se maior nº de eventos em determinadas zonas do país do que em outras, mas acredito que com o tempo a "coisa" alastrar-se-á", isto porque gostaria de diversificar ao máximo as minhas deslocalizações).


Seja como fôr, Abiul promete dureza e alguns singletracks.


Entretanto, a parede da garagem vai-se compondo.
.
À esquerda acumulam-se dorsais e mais à direita o mapa de Portugal onde estão assinaladas as localidades dos respectivos eventos.
.
A semana foi assim:
segunda-feira: futsal (sprints)
terça e quarta feira: natação: 40 min bruços; 50 min crawl alternado com bruços (vejo com
agrado a evolução no crawl e na capacidade toráxica
quinta-feira: futsal (recuperação)
.
Hoje a ideia era fazer bicicleta mas o corpo pede descanso. Tavez faça natação à noite. O btt de domingo é forçosamente alterado para sábado devido às condições metereológicas.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Fait divers

Quando se combinam diferentes gostos dão-se resultados curiosos.
Gostas de bicicleta? gostas de música? Junta ambos e tens o Bicycle Music Fest



assim de repente lembro-me de um amigo que....

sábado, 21 de novembro de 2009

I Maratona Cabo Espichel

21\11\2009
Azóia (Cabo Espichel)










Altimetria










Organização: http://oriazoia.no.sapo.pt/
Inscrição: 15 euros
Km anunciados: 20; 40; 80 km
Localização: Azoia, Cabo Espichel - Sesimbra


A "fomeca" que eu já tinha disto e nem sabia, era ainda maior do que imaginava. Foi tempo a mais sem participar em nenhuma. E "fomeca" essa que não foi totalmente saciada por dois motivos: talvez exactamente por não fazer qualquer prova há muito tempo e porque esta soube a pouco, mas já lá iremos.


Nunca tinha ido a uma prova com um grupo tão grande (aliás, normalmente vou mesmo só): eu, bully, bruno, tiago, carlos e paulo (faltou o rui que foi para o Jamor para mais um treino de atletismo). O nome desta equipa: Msports Club Team (ginásio do faltista). Dela fizeram pertença outros elementos mas que seguiram separadamente.


Só os preparos de véspera, as combinações, a chegada ao local vendo logo ali o arraial "circense" do costume (o insuflável da meta, os carros dos participantes com as respectivas bicicletas no topo que enchiam o campo de futebol 11 do clube de futebol local, etc) deixavam-me uma tremenda vontade de pedalar e disfrutar desta manhã nebulosa.


Mas nem tudo foram rosas. Apesar partirmos com alguns minutos de atraso (a prova começou a horas o que é sempre de louvar), fruto da arte e engenho de quem à ultima da hora trocou de camara de ar duas vezes, o inicio foi bastante agradável. Um percurso mais ou menos nivelado com uma paisagem extraordinária do Cabo Espichel e da falésia envolvente com o mar a adornar o cenário. O céu dava mostras de não querer chover.


Depois o restante percurso fez-se à base de estradões por entre pinhais e campos de vegetação rasteira, sem grandes subidas ou descidas rigorosas. Ou seja, tanto tecnicamente como fisicamente posso considerar uma prova fácil. De salientar a presença de alguma areia mas nada de excessivo pelo que se tolerou sem problemas. A distância e a altimetria conferiram com o anunciado: 40 km e 720 m respectivamente. Apesar de só ter dormido duas horas e meia na véspera, senti-me sempre bem fisicamente e teria feito de bom grado mais uns km´s.


E assim se seguiu até ao final sempre rolando a bom ritmo. Mau, muito mau foi a sinalização, ou neste caso a falta dela. Muitos (talvez a maioria pelo que me apercebi) foram os que se perderam, enganaram ou simplesmente seguiram na direcção da prova errada (os de 20 para os 40 km e vice-versa). Nota negativa também para os balneários (eram 2 para os homens): pequenos, sem luz e a água quente acabou para os últimos. Péssima a organização do almoço. Com a maioria dos atletas já prontos houve lugar a espera pois o "farnel" ainda não estava pronto. Resultado: quando foi servido acumulou-se demasiada gente e a espera foi maior. Não haver mesas nem sequer cadeiras para o repasto também foi muito mau. É que depois de pedalar, comer de pé.... A comida em si: febras demasiadamente grelhadas e já frias, uma só bebida, arroz, massa e salada soube a pouco (dos dois pontos de abastecimento, nada a assinalar. Desde que tenham fruta, água e bolos secos para mim está bem. Ainda vi barras e sumos, acho). Salvou-se a sopa, um caldo verde quente e saboroso.


Conclusão geral: uma organização que ficou muito aquém daquilo que o circuito escolhido e zona envolvente mereciam e nem os diversos brindes oferecidos apagam a má imagem e justificam o preço da inscrição. Muita coisa a rever. Na minha opinião teria ainda deixado a primeira parte (aquela em que se rola em direcção ao Cabo) para o fim. Rolar-se-ia muito melhor por não haver tanto aglomerado de riders e deixava a fabulosa paisagem na retina da memória de cada um.


o melhor: só mesmo a partida a horas e os dados fornecidos rigorosos (distância, altimetria, localização dos pontos de abastecimento)


o pior: muita coisa e importante. A saber: as marcações (essencial!!!!), os banhos, o almoço (pobre e em pé), as passagens por alcatrão que implicam perigo com o trânsito local estavam entregues a jovens escuteiros (demasiado jovens e normalmente sós) sem competência para o efeito e que se limitavam a indicar o caminho... Não vi qualquer participação da policia, bombeiros ou ambulâncias (vi uma no final da prova, não reparei no inicio nem durante)


frase que a marca: "epá perdi-me", "epá eu também", "epá acho que toda a gente se perdeu" e "para o ano não venho"



Apenas uma ressalva em abono de defesa da Organização: ouvi muita gente a queixar-se da dificuldade da prova. Na minha opinião e pela minha experiência, esta foi das mais fáceis tanto fisica como tecnicamente. Penso que muitos bttistas vêm à aventura expondo-se a uma situação de risco demasiada para as suas capacidades. Para eles uma palavra: optem por passeios e não maratonas ou meias-maratonas, isto a bem da vossa própria integridade física e por vezes dos outros também.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

btt vs ciclismo

O termo comparativo (pessoal) que faltava entre as duas modalidades sobre rodas que pratico. Gosto de ambas e daquilo que usufruo e retiro de cada uma. Unidas pelo acto de "dar ao pedal" conseguem ter diferenças enormes.

A saber.



Btt a favor:
1 - o contacto com a natureza: ar puro; paisagem; fauna e flora; tranquilidade e sossego;
2 - os single tracks;
3 - as descidas desenfreadas;
4 - descargas de adrenalina;
5 - convivio com outro riders;
6 - descontracção e bem-estar;
7 - a participação em provas;

Btt contra:
1- a lama no tempo dela que dificulta o rolar e impossibilita a passagem pelos principais pontos de interesse
2 menos cativante a solo;
3 - maiores gastos para adquirir bom material e para substituição deste (desgaste e desafinações)




Ciclismo a favor:
1 - o prazer de rolar suave;
2 - o esforço físico mais metódico e sistemático;
3 - possibilidade de percorrer grandes distâncias;
4 - o mp3 a debitar música nos meus ouvidos;
5 - concentração "desconcentrada" (Soa a complicado? mas não é. Resumidamente em cima da bicicleta de estrada, penso em tudo e não penso em nada o que relaxa a mente)



ciclismo contra:
1 - o perigo de circular nas estradas face ao desrespeito dos automobilistas (os cães tb são perigosos)
2 - o vento, esse enorme obstáculo (mas que ajuda para se efectuar um treino mais exigente)
3 - quebra fisica pode ocorrer longe de "casa" o que causa um enorme sofrimento no regresso, logo torna-se impreterivel conhecer as limitações fisicas pessoais do dia.
4 - paisagens mais urbanas e o tráfego em geral.


e outros aspectos mais..

Amanhã entretanto há prova de BTT:
I maratona do Cabo Espichel.
Estou inscrito pela equipa do Ginásio MSports (http://www.msports-club.com/home.php), que apresentará um bom rol de riders.
Avizinha-se uma grande carga de água para amanhã. Espero que aguente até pelo menos terminar a prova...

sábado, 14 de novembro de 2009

Ainda o Domingo passado...

08\11\2009
Arrábida


Tenho feito aqui uma pequena amostra em formato video de alguns momentos mais electrizantes do btt do gang. Algumas descidas, muita velocidade, etc, etc. Hoje faço uma justa homenagem ao sofrimento pelo qual se tem de passar para chegar até esses momentos, até essas descidas.

Eis uma manta de retalhos colada com muito suor para dar uma ideia geral do que também se sobe.

video

distância: 40 km tempo: 03:20 horas altimetria: 1.040 m

Domingo, 15\11\2009 Arrábida

Apenas eu e o faroleiro numa volta sempre com um céu negro e carregado de chuva que felizmente nunca chegou a cair, e muita lama já por todo o lado que nos obrigou a ser muito selectivos no percurso e por isso menor distância percorrida: 35 km.

Ficou combinado que nestes dias sairemos mentalizados para fazer únicamente estradões.

Entretanto uma dor no joelho (fruto de uma queda no domingo anterior) apareceu mas rápidamente desapareceu.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Classificados

10\11\2009

Porque quase tudo se compra e quase tudo se vende, e a troca de materiais neste ramo das bicicletas parece o mundo do futebol onde há sempre um corrupio de transferências de jogadores (chegam e partem aos contentores todas as épocas em vários clubes), fica aqui a referência ao que está no mercado de segunda mão dos arredores:

- vendo ciclocomputador com altímetro VDO MC 1.0+ ..................... ........... 70 eur
(novo custa 95 eur aprox)




- vendo Helmet Cam Oregon Scientific Actioncam ATC-3K ......................... 60 eur
(nova custa 80 a 90 eur aprox)




- o tiago vende a sua MONDRAKER FACTOR R (vêr mais em http://www.miau.pt/leiloes/leilao.jsp?offer_id=7627402

Os interessados podem deixar as suas dúvidas e questões. Obrigado.
amanhã a ver se faço o relato da volta de domingo. Depois de um fatigante fim-de-semana pedalístico, ontem fiz 30 min de futsal que foi óptimo para recuperar. As pernas estão como novas o que é incrivel!
Dentro de uma hora vou pôr-me de molho (natação)

sábado, 7 de novembro de 2009

desculpas, desculpas

07\11\2009

Tinha projectado um treino longo de 4 horas.
Na véspera até me deitei cedo, no entanto...
- mal dormido;
- cansaço laboral;
- vento moderado mas suficiente para fazer estragos (15\16 nós)
- nariz a fungar;
- falta de "feeling";
- pernas sem força;

Foram 60 km de estrada em 02:20 horas sempre, mas sempre a sofrer.
Curiosamente não sei se foi da barra que comi se da direcção do vento, mas nos 30 km de regresso nunca saí do carreto da frente maior (à ida foi uma constante de desmultiplicações mais leves).
Ele há dias...

Anteriormente:
2ª feira: 1 hora futsal
3ª feira: 45 min natação
5ª feira: 01:30 horas futsal (já acusando algum cansaço)

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Atentado à bomba!

04/11/2009


Deveria tar chegado conjuntamente na encomenda que o "faroleiro" fez mas por lapso, o Chainreaction (site para compra de tudo o que se relacione com bicicletas) não a enviou.
Contudo, após um simples e-mail, rectificaram o erro num exemplo de eficiente prontidão. Estamos a falar em material que vem de fora. As empresas portuguesas deveriam pôr os olhos nisto!

Assim, as velhinhas bombas de mão, aquelas coisas ridiculas que bombeiam meio centimetro de ar, servirão agora exclusivamente para forrarem o interior do Camelback.
O enchimento de pneus fica a cargo desta maravilha que além de ser extremamente eficaz com muito menos esforço, permite-me saber a pressão que estou a usar em cada bicicleta (parecendo que não, é um elemento que pode fazer muita diferença)

SKS Airworx Track Pump:
- dupla utilização (válvula presta e schreader)
- pressões até 10 bar (144 psi)
- 25 euros!

Um passo mais à frente no bombear.




Sempre a bombar, todos los dias bombeando, toujour bombée, always bombating!

domingo, 1 de novembro de 2009

Soma e segue

01\11\2009
Arrábida

De regresso também ao btt. Depois de ter forçosamente faltado à prova de Vermoil, a saudade pelo btt era enorme e nem os programas de sábado à noite iriam arruinar esta manhã.
Estava curioso para saber como reagiriam as pernas depois do esforço de ontem: algo cansadas mas nada de grave.
O céu era ameaçador e assim se manteve toda a manhã. Novembro 1 - Chuva 0!
Os pedaleiros de hoje, "faroleiro", "jorgemback" (a estrear um guiador e avanço novos prenda do mano e pneu traseiro novo prenda do faroleiro) e rui corredor que levou a minha Mérida a estrear o kit tubless.
Uma volta muito boa a atingirem-se niveis de adrenalina elevados. Boas descidas, boas subidas.

distância: 41 km
tempo: 02:45 horas
altimetria: 850 m

sábado, 31 de outubro de 2009

Setúbal-Almada-Setúbal

31 de Outubro 2009





Depois de um interregno forçado (constipação "virosada" de uma semana) voltei novamente à estrada. E logo à pior estrada nacional cá da zona: a nº 10
Se até Azeitão é um prodígio, daí em diante é um martírio tanto no que respeita ao trânsito como em toda a envolvência paisagistica. Um horror.
Mas isto é para o que me dá quando me monto na Masil. O único pensamento é ir, ir e ir mais longe sem pensar.
.


Imagem de marca de Almada




Senti nas pernas as maselas da constipação. Mas também senti mais porque descuidei a alimentação. O primeiro snack ocorreu demasiado tarde.
Como amanhã é dia de BTT entretanto já usei todos os truques do livro: alongamentos, hidratação e alimentação imediata após o exercíco, banho água quente-água fria, uma sesta a seguir ao almoço e só fica a faltar mesmo uma massagem...





Km: 75
tempo: 2.55 h
altimetria: não contabilizei.

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Preparos

23\10\2009

Hora de começar a pensar em deixar a terra outra vez.
A constipação está mais ou menos mas para o lado do mais.
O tempo está mais ou menos mas para o lado do menos (embora a previsão para Domingo seja de céu limpo).
A Mérida da última vez que a vi estava mais ou menos (tinha um pneu meio cheio ou meio vazio, como preferirem. Estranho é porque já tem o kit tubless montado, apesar de nunca o ter chegado a experimentar. Era para te-lo feito esta semana mas posso agradecer à constipação e ao trabalho).

Talvez leve o novo chaço que o meu pai comprou e que adorei (depois ponho aqui foto). Dá para levar a bicicleta no interior e talvez até dormir ao lado dela. Talvez experimente.
Para além disso vou de tenda, saco-cama, manta e comprimidos às costas. Cheira-me que vou levar cá uma esfrega...

Na terra (Vermoil) está implantada desde hoje, a festa das tasquinhas e afins Feira Anual Bodo das Castanhas). É comer e buer (ui, ui).

A organização informa: "P.S. Sábado entre as 12:00 e as 13:00 sintonizem a RFM! Mais não
digo....."
se ouvirem falar de um gajo que passou todo largado, serei eu!

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Acidente de percurso

22\10\2009

Em primeiro lugar gostaria de agradecer o apoio de todos os quanto me acompanharam nestes dois dias e sem os quais nada disto seria possivel. Muitos outros ficarão por referir de uma lista infindável mas quero que saibam que não são menos importantes...
Tenho que destacar a dor de garganta, as dores no corpo, as dores de cabeça, uma noite muito mal dormida (que devo particularmente à febre) e por aí em diante....

Resultado: em vésperas de prova, resta fazer figas que a falta de treino destes dias e as maselas no corpo sejam compensadas no próprio dia pelos Aulins e Aspegic´s. É o doping a funcionar. Ou então não....

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Fim-de-semana negro

20\10\2009

Sexta. sábado e domingo por motivos diferentes faltei a todos os treinos (natação, ciclismo e btt respectivamente).
Face à prova (durinha) que se avizinha já no próximo domingo, não foi uma boa atitude mas agora não vale a pena lastimar.
Ontem houve treino de sprints em futsal, hoje será natação a puxar e amanhã se não chover btt (aproveitando para fazer as últimas verificações à Mérida que não se mexe há muito tempo).
Quinta-feira será dia de futsal outra vez e sexta natação num ritmo mais tranquilo para relaxar. Sábado descanso e domingo prova.
Parece ok este plano?

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

SABE COMO ULTRAPASSAR UM CICLISTA?

15\10\2009

Hoje não é dia de sair para a estrada mas cada vez que o faço deparo-me com enormes atrocidades cometidas sobre mim, assim como outros ciclista se queixam.
Era importante que as mentalidades dos automobilistas começassem a mudar em relação a bicicletas (sim, a bicicleta é um veiculo e faz parte do trânsito) e para tal terão que ser reeducadas.


Portugal como país da UE tem por obrigação progredir e "civilizar-se".






Deixo aqui um link com um f.a.q. do código da estrada e velocipedes que já agora valia a pena divulgar.
São inúmeras as preocupações de quem anda sobre duas rodas sem motor auxiliar mas a maior de todas poderá ser a da ultrapassagem.
Pergunto ao sr. automobilista: Sabe como ultrapassar um ciclista??
.
.
VOCÊ ACABOU DE SALVAR UMA VIDA! OBRIGADO!
.
Saber e praticar esta regra já seria uma grande (enorme!!!) manobra de civismo.
De tudo o resto a afixação deste sinal pelas estradas deste país já seria um passo importantíssimo na divulgação da regra e sem grandes encargos!

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Tour de France 2010

14/10/2009

Neste preciso momento a apresentação do Tour de 2010 na Eurosport! Nunca antes tal tinha visto.
Vamos ver as novidades. Para já sabemos que arranca de uma terra com tradição em bicicletas...




Entretanto os treinos:

- domingo: Btt - 38 km - segunda-feira: futsal - terça-feira: 30 minutos natação (bruços)
- quarta-feira: descanso.

sábado, 10 de outubro de 2009

10\10\2009
ciclismo


As contas sairam mesmo furadas. Andei a semana toda a desejar pela manhã deste dia, uma manhã solarenga perfeita para me fazer à estrada. A ideia era pedalar por 3 horas no mínimo.
Mas as contas sairam-me "furadas".
Logo ao chegar junto da Masil, o pneu traseiro em baixo. Não tinha câmaras de ar para substituir e tive que esperar pelas 10:00 h para ir à Bikezone (Felizmente o Mário é pontual e aceitou que lhe ficasse a dever pois não levava carteira. À tarde fui lá pagar).

Assim, às 10:30h já rolava com uma hora de atraso face ao estipulado.Fui andando e para variar sem rota traçada e quando me apercebi estava na nacional a caminho de Àguas de Moura. Antes, um brutal acidente cortava o trânsito em ambos sentidos e as filas de automoveis extendiam-se de um lado e do outro. Que coisa brutal para a qual nem tive coragem de olhar (ao contrário de muitos outros curiosos). Fiz um corta-mato saltando uma vedação (para inveja de muitos automobilistas) e minutos depois estava de novo na estrada.

Nunca vi esta nacional tão "limpa" a esta hora do dia(infelizmente por consequência do acidente)
video
.



Em Águas de Moura decidi sair da nacional e rumar em direcção ao Montijo. O avançar da hora assim impunha.

Antes de percorrer a maior recta do mundo (não é mas é como se fosse), parei na Estação de comboios do Faralhão para comer uma barra e para um momento clássico kodak .






Seguidamente rumei em direcção a Rio Frio e daí logo decidiria qual o rumo a tomar: Pinhal Novo ou Montijo, dependendo claro está, da hora.No entanto Rio Frio e a sua herdade reservavam-me uma desagradável surpresa. As contas saíam "furadas" novamente.Um novo furo, desta feita na roda dianteira, acabava com a volta.Telefonei ao carro de apoio (desta vez foi o mano)e só me restou alongar e tirar umas fotos enquanto esperava pela boleia.


A chegada.
.

O palacete (das poucas estruturas que se mantém tratada, conservada e em utilização)

.

Vista parcial do jardim onde já estive por alturas do casamento de um casal amigo.

O campo de futebol "pélado" recuperado com o apoio da Câmara Municipal de Palmela. Interrogo-me se poderemos fazer uma jogatana aqui.


A porta dos fundos.

... e a espera!


Contas "furadas" finais:
tempo: 01: 50 h
distância: 48 km
.


E mais dúzia e meia de euros em 3 câmaras de ar novas e muita vontade de pedalar pelo cano abaixo. Alguém há-de pagá-las e cheira-me que vai ser a GT na Arrábida amanhã a partir das 08:30h.
.


Na quinta-feira passada descansei e ontem fiz 40 min. de natação numa piscina por minha conta (como cantava o outro "queria tê-la ""enteirinha"" só pra mim").
A toque de aulin, gelo, reumon gel e o referido dia de descanso o joelho parece melhor (hoje só em algumas ocasiões se fez sentir).

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Avalanche 2009

Lousã,

03, 04 e 05 de Outubro







Uma das provas mais adrenalizantes que se realiza anualmente em Portugal. Aqui não interessam as distâncias, as altimetrias, os abastecimentos, etc. A única coisa que importa é descer, descer mais e descer mais rápido ultrapassando todos os obstáculos.

São 11 km sempre a rasgar sendo a primeira parte em estradão e a segunda em single tracks com vários "jumps" e afins.
Até ao arranque nada a apontar à Organização (excepto que na véspera já se podia utilizar a pista para treinos e uma das passagens em que se cruza a estrada de alcatrão estava a ser muito mal "guardada"). Foram 35 minutos de atraso em relação à hora marcada o que não é muito agradável quando se está expectante como provavelmente estariam todos os riders.
Se na véspera ficara algo receoso pelo pouco (mas louco) que tinha visto do percurso, nesta fase sentia-me perfeitamente tranquilo.
Ainda assim a táctica foi ficar para o fim como habitualmente faço. O Helder que também participou fez o mesmo.

Pouco mais há a dizer. Penso que será fácil de imaginar o que é esta pista de DH que demora pouco mais de 45 min de carro a subir.
O pó levantado pelos da frente e o congestionamente (previsivel) que se dá ao inicio dos single tracks são o menos positivo. O desgaste destes (trilhos já demasiadamente cavados e socalcados) também não são ideiais mas quanto a isto nada a fazer.
Até ao fim foi um libertar de adrenalina como nunca fizera durante tanto tempo seguido.
O pó sempre denso nem me deixava ver onde punha as rodas e simultaneamente ia evitando outros riders tendo para tal que escolher trajectórias menos desejadas.
Numa dessas situações o helder caiu forte e feio mas felizmente pôde prosseguir.

No final, e após recompor a pulsação, procurei água sem sucesso (imperdoável). Sumo ou imperial era o que havia...
O almoço foi outra desilusão: sandes de carne??? mau demais.

Em suma, a prova não vale os 20 euros que custa a inscrição.

Aspectos mais positivos: todo o percurso
Aspectos negativos (normalmente escrevo "menos positivos" mas desta vez nada feito): a segurança na véspera, a falta de água e o almoço se assim se pode chamar.


Valeu pelo excelente fim-de-semana passado na companhia da familia Mc deiniel e do helducho, muito bem recebidos pela hospitalidade do sr. Júlio, e pelos litros de adrenalina libertados.
Infelizmente o faroleiro não pôde acompanhar-nos (a braços com uma doença da filhota mais velha) para grande desgosto seu.
Georgemback igualmente ausente.
No dia seguinte à prova ainda fui pedalar na serra. Soube bem!

Deixo aqui um pequeno resquicío daquilo que consegui captar com a helmet cam que com a trepidação acabou por saltar. Infelizmente só captei estradão. Quem quiser ver os singles terá de ir até à Lousã.
A qualidade da imagem também é fraca e as fotos são poucas logo tive de esmiuçar (termo da moda) isto o melhor que pude e soube.


video

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Treinos

O tempo para mim poderia passar-se a definir por AA e DA, ou seja, Antes da Avalanche e Depois da Avalanche, mas seria dar demasiada importância a um acontecimento em deterimento de outros tão igualmente electrizantes.
Enquanto não saí a critica sobre essa prova rainha do DH (está a dar trabalho mas vai valer a pena) actualizo informação dos últimos treinos:

Segunda-feira: (ainda na Lousã) BTT 28 km, 01:30h, 550 m altimetria
Terça-feira: natação 45 min ininterruptos
Quarta-feira: 30 min corrida (o joelho começou a doer e parei. fora isso sentia-me óptimo)

Entretanto a GT está no Tiago (Arrábida bikes) a curar as "feridas" da Avalanche, e a Masil tem um pneu em baixo que tratarei amanhã!

Objectivo: continuar a treinar para a prova de 25\10.

E agora uma boa notícia:
Setúbal vai ter ciclovia! Resta saber para quando e para quando uma ciclovia que ligue as freguesias em redor da cidade e um pouco mais além (isso sim é que era).
Vêr a reportagem aqui

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Semana adentro

A semana vai avançando e os treinos vão sucedendo.
Como há quem diga que a semana começa ao domingo isto tem-se passado assim:

Domingo: btt levezinho (post anterior)
Segunda: treino de sprints até não dar mais numa hora de futsal
Terça: natação 50 min. aproximadamente - duas boas séries de brussos e começar a "esticar" o crawl
Quarta: 50 min de ciclismo ao final da tarde igual a 30 km. Uma boa estirada (continua o problema do trânsito. Não há como fugir dele)

Amanhã ainda não sei o que será. Talvez natação ou futsal, logo se vê.
No fim-de-semana vai haver deslocação à Lousã para a Avalanche 2009 e mais btt nos arredores.

Entretanto para dia 25\10 já está agendada uma prova bem, bem dura (fisica e tecnicamente) em Vermoil-Pombal inserida nas "Festas" da terra. Promete.
Agora há que treinar mais árduamente!

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Retornado

Arrábida,
27\09\2009

Em dia de eleições não há BTT...not!!
Fomos para a serra e levámos um retornado que dá pelo nome de Sérgio (há um ano que andava fora das lides).
Ainda não tinha nome de guerra mas rápidamente adoptou um. Mais adiante explicarei.
O adamento foi leve e a distância percorrida curta. O tempo em cima da bicicleta igualmente escasso.
2 quedas foi quanto bastasse para mandar todo o grupo para casa.

No próximo fim-de-semana há excursão até à Lousã para participar na Avalanche 2009 e não só... Esperemos que não tenha sido mau presságio.
Os convocados: nanex, alex faroleiro, helder e mc deiniel (este a título de acompanhante).


Entretanto vamos lá a vêr o baptismo de Sérgio:

video

E então?? ninguém quer arriscar um nome?? vou dar algumas dicas: grande barriga toda arranhada e avermelhada; o incontornável companheiro de D. "Cai_xote" (não me digas que o rapaz caiu?). Falamos nada mais nada menos de.... Sérgio Pança!

As melhoras.

sábado, 26 de setembro de 2009

Eu não vos dizia?

Já andava desconfiado que havia bébes que saiam dos carrinhos empurrados pelas mães a gatinhar a grande velocidade. ´
Igualmente estranhava os velhos que cambaliavam a mais de 3 km\h rebentando com bengalas e andarilhos (com os fabricantes destes objectos a jurarem a pés juntos a qualidade vitalícia dos mesmos).
Pois bem, meus amigos. Era doping!
Vai tudo a eito. Que vergonha! Já não falo mais disso depois da última dissecação que fiz anteriormente aqui (clicar nesta palavra para recordar).

Deixo aqui uma noticia do jornal A Bola:

Apenas dois dias deram para saborear a medalha de prata conquistada por Nélson Oliveira nos Mundiais de ciclismo na Suíça. Uma semana depois de vir a público o controlo positivo com EPO/CERA de três corredores da Liberty Seguros, nos quais se encontrava Nuno Ribeiro, vencedor da Volta a Portugal, o doping está de novo na ordem do dia no pelotão português.João Pinto, corredor da ADR Ases de Penafiel e vencedor da Volta a Portugal de cadetes (escalão para jovens de 15 e 16 anos), também acusou positivo, situação idêntica à vivida por Daniel Freitas, do mesmo clube, e vencedor da Volta a Portugal de juniores (17 e 18 anos). As contra-análises em ambos os casos confirmam os primeiros resultados, que desta forma determinam a suspensão dos jovens e a vitória nas provas a ser atribuída aos segundos classificados.Mas os casos de doping não terminam aqui. A 1.ª Volta a Portugal de Masters, organizada para colocar na estrada a velha guarda do ciclismo português, também está manchada por duas situações que aguardam pelos resultados das contra-análises que serão efectuadas dentro de dias. Todas as categorias, à excepção da Volta do Futuro, ganha por Marco Cunha (ALU), parecem envenenadas pelo doping, com reflexos imprevisíveis para a modalidade.

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Novo treino e ainda o Road to Roubaix

22\09\2009
Aí está o regressar aos treinos de natação. Foram 45 minutos sempre a dar (mas devagarinho). Já me tinha esquecido o quão bom que é!
Resta saber se quando chegar o frio continuarei com esta moral. Vou fazer um esforço!
Hoje descanso.

Entretanto e ainda sobre o filme "Road to Roubaix" (não há dúvidas que me marcou):
-realiza-se desde 1896 e cruza os campos de batalha mais sangrentos das guerras disputadas na Europa ganhando o cognome de "Hell of the North"




Ivan Basso: "it´s something special"
Gert Steegmans: "there is no other race in Europe or maybe in the world that is so hard"
Levi Leipheimer: "it requires a special person to be able to ride it"
Fabian Cancellara: "it´s a fight against coblestones"
George Hincapie: "after doing three weeks of Tour de France i feel the same with the one day of
Paris Roubaix" e "big batle on the bycicle"
Lance Armstrong: "I think it´s insane" e "even the police motorcycles must ride motorcross bikes".


segunda-feira, 21 de setembro de 2009

A volta maravilha

20\09\2009
A volta maravilha



Ainda no Alentejo
.

Domingo, 09:00h da manhã. Chegara a hora de me fazer à estrada. Material pronto, eu pronto e fui apanhar a nacional (N4), uma estrada movimentada que liga Portugal ao resto da Europa.
No entanto, desde que foi feita a auto-estrada que o tráfego diminuiu significativamente. O alcatrão está impecável e as bermas são fantasticamente amplas. Sem saber bem que rumo tomar, segui em direcção à cidade. Começar a descer significava que o regresso seria a subir (nada de especial mas ainda assim condicionava o raciocínio para poupar alguma força).
Chegado à cidade, optei por virar para uma estrada secundária. O alcatrão seguia impecável e não se via ninguém (um ou outro automóvel de quando em vez)…



Mas vamos ao sempre mais agradável relato fotográfico:

Até Elvas foi um instante. À minha direita o Forte de Sta. Luzia

Vista de dentro do forte. Ao fundo é Espanha. Nada de inimigos à vista!



A estrada que apanhei para sair da nacional. Somente eu e a paisagem.



Perto da fronteira: "A Optimus deseja-lhe uma boa estadia. Na União europeia custo máx de..."
Foto dos novos métodos de plantar olivais (paisagem bem peculiar): oliveiras bem juntas e que se assemelham a pinheiros. A vantagem está no que posteriormente a maquinaria faz quando chega a época da apanha.



Esta sim uma imagem mais típica cá da nossa terra.





Então meninas? comemos juntos?



As miúdas alentejanas sempre me tiraram do sério.



Linda!

A natureza em harmonia consigo própia e eu em harmonia com a natureza.


No regresso decidi subir ao centro histórico da cidade pelo lado das "Portas"


Descendo até ao famoso Aqueduto. O ex-libris da cidade.



A estrada secundária que se seguia para o regresso, para assim não tomar o mesmo caminho.
Será que é daqui que vem a expressão "contar ovelhas"???
video


E a fotografia típica da provincia.


Depois seguiu-se o melhor: o assado de borrego. Este é o novo forno. O outro que é mais velho do que eu é bem mais castiço mas por ser maior ficou em repouso.




O último retoque antes de se juntarem as batatas. E como no Alentejo nunca é demais, fez-se um bacalhau no forno também. Que barrigada!



No final, 65 km em 02:50 min.
Descobri mais um encanto em tantos que esta região já me mostrou ao longo da vida: um belo sitio para rolar em estrada!
Cada vez gosto mais do meu Alentejo.

Que maravilha de treino!